O paranaense Caio Walnier Zorzetto é um dos kartistas da categoria Cadete que têm agenda profissional.

Fazer carreira no automobilismo, chegar a Fórmula 1, Fórmula Indy e Mundial de Endurance a nível mundial; ou Stock Car e Copa Truck a nível de Brasil é o sonho de todo garoto que começa a competir de kart, escola para todas as categorias do automobilismo. Junto com o sonho vêm as exigências e com isso o profissionalismo está chegando cada vez mais cedo aos kartistas.

Dedicação, disciplina e determinação são requisitos para quem desejar ser um piloto de sucesso e com isso seguem uma agenda profissional nos mesmos moldes dos estrelas de muitos outros esportes.

Os kartistas de categorias como Mirim e Cadete têm hoje compromissos com patrocinadores e precisam seguir um cronograma com treinos em pista e preparação física. Muitos têm coach para os treinos de pista e personal trainers para cuidar da parte física. Acrescente a isso que eles precisam conciliar tudo com os estudos, sem deixar de serem crianças.

Entre estes kartistas que já vivem como profissionais está Caio Walnier Zorzetto, de São Miguel do Iguaçu, no Paraná, que disputa a categoria Cadete nas principais competições do Brasil nesta temporada. Com nove anos completados no dia 17 de dezembro, o piloto da equipe Disam Insumos Agrícolas/CHD’S do Brasil tem uma agenda semanal, que segue a risca, mesmo com a pandemia do coronavírus, que exigem mais cuidados. Ele voltou às aulas presenciais (com número reduzido de alunos em sala) e por isso vai a escola todas as tardes de segunda a sexta. Nas quartas e sextas-feiras, pela manhã, vai a Vibe Academia pra exercícios físicos acompanhados pelos personais trainers Jandir Valduga Júnior e Jonáira Tainá, que atendem no máximo três pessoas no mesmo horário. Os treinos de kart são feitos as segundas-feiras pela manhã e aos sábados à tarde, também seguindo os rígidos protocolos sanitários; e para fechar a agenda, nas terças e quintas-feiras Caio faz inglês pela manhã.

Durante as competições, mais exigências aos profissionais kartistas, com horários rígidos, briefing com preparadores e coach; e precisam estar sempre impecáveis com a indumentária, sempre estampando as cores e logos de seus patrocinadores, pois ao serem fotografados ou filmados estarão divulgando as marcas que estão lhe apoiando.

Jaime Zorzetto Júnior, pai e chefe de equipe de Caio Zorzetto, diz que mesmo com a pandemia o trabalho da equipe Disam Insumos Agrícolas/CHD’S do Brasil está dentro do mais normal possível. A dificuldade é a falta de competição, que impedem uma melhor avaliação da evolução. “O Caio tem mantido a disciplina e demonstrado muita determinação. Como os treinos de pista foram reduzidos, tem trabalhado mais na academia. É difícil para uma criança de nove anos ter todos estes compromissos em um período que exige muitos cuidados com a saúde. Mas até agora ele demonstra muita motivação para seguir com o esporte que escolheu”, acentua Jaime Zorzetto Júnior.