Principal competição do kartismo no Brasil terá início no dia 7 de dezembro, em Birigui (SP).

Depois de cumprir à risca seu planejamento na preparação para a disputa do 55º Campeonato Brasileiro de Kart – Pro Honda, a fabricante italiana de chassis CRG está pronta para repetir as temporadas passadas e partir em busca de novos títulos nacionais. O principal evento do kartismo no Brasil será disputado entre os dias 7 e 19 de dezembro, no Kartódromo Speed Park, em Birigui (SP), onde no último final de semana a CRG obteve resultados de destaque.

A participação da CRG nos dois eventos paralelos do final de semana – 4ª etapa da Copa Speed Park e Open do Brasileiro – começou de forma bastante positiva, com a conquista de quatro poles position entre as cinco categorias que o Regulamento Nacional de Kart permite que a fabricante italiana participe – Júnior, Graduados, OK, OK Júnior e Sênior A.

Encerrada a tomada de tempos, Leonardo Nienkotter (Sênior A), Olin Galli (Graduados e OK) e Gabriel Gomez (OK Júnior) haviam levado a fabricante italiana à primeira posição no grid de largada de suas categorias. Além deles, Bruno Bertoncello garantia a totalidade da primeira fila para a CRG na Graduados, em 2º, e Francesco Ventre largaria em 3º na Sênior A.

Nas provas, duas para cada categoria, alguns pilotos que competiram com CRG tiveram problemas mecânicos ou incidentes de pista que terminaram não traduzindo o bom desempenho do equipamento em resultados adequados.

Ainda assim, a CRG comemorou várias vitórias, especialmente com Gabriel Gomez, que venceu as duas baterias da OK Junior e levou a fabricante ao alto do pódio na categoria.

Outra vitória da CRG veio com Bruno Bertoncello, segundo na pista, mas vencedor da corrida 1 da Graduados após uma punição aplicada ao primeiro colocado. Na segunda prova, o piloto gaúcho chegou a ocupar a liderança em alguns momentos, mas teve problemas mecânicos e foi forçado a abandonar. Bertoncello finalizou em 5º na soma dos pontos, enquanto Allan Croce terminava em 7º.

Olin Galli, que largou na pole position da OK, teve quebra de motor quando liderava a primeira prova com mais de 2 segundos de vantagem. Largando em último na segunda corrida, o piloto carioca venceu e terminou em 5º na soma dos pontos. Gabriel Crepaldi, que estreava seu chassi CRG, foi o terceiro colocado e levou a fabricante ao pódio.

Na Sênior A, mesmo depois de enfrentarem problemas, quatro pilotos que competiram com chassi CRG obtiveram resultados de destaque em pelo menos uma das baterias. Desta forma, Júlio Conte foi o 5º colocado após a soma de pontos, enquanto Francesco Ventre era o 6º, Leonardo Nienkotter o 7º e Rafael Pastorello 8º.

“Nosso principal objetivo e também dos pilotos que competem com CRG era deixar encaminhado o acerto do chassi para o Brasileiro. A maioria deles teve problema ‘extra-equipamento’ em pelo menos uma bateria. Foi uma pena, mas isso não impediu que alcançássemos os objetivos”, declarou Eduardo Dieter, que comanda a operação da CRG no Brasil.