Ricardo Zonta e Werner Neugebauer (Foto: Luca Bassani)

Ricardo Zonta e Werner Neugebauer (Foto: Luca Bassani)

Chico Horta e William Freire conquistam a vitória na classe GT3 Cup.

Os mais rápidos do quali prevaleceram na abertura do Porsche Endurance Series no Velocitta. Depois de 300 km de muita velocidade e alternância de liderança na pista, a dupla Werner Neugebauer e Ricardo Zonta recebeu a bandeira quadriculada em primeiro lugar neste sábado.

A segunda posição ficou com Miguel Paludo e Beto Gresse e o carro #7 da Brandt. Na bandeirada, em terceiro lugar cruzou a dupla Lico Kaesemodel e Felipe Massa. Foi a primeira competição do vice-campeão mundial de F1 de 2008 com os carros de corrida mais produzidos no planeta e ele correspondeu, protagonizando ultrapassagens, defendendo bem a posição e liderando a prova por boas voltas.

Depois da prova porém,  o carro #91 foi punido com acréscimo de 20s por ultrapassagem de Kaesemodel sobre Alceu Feldmann no final da prova.

Pela classe GT3 Cup os vencedores foram os pilotos do carro #77, William Freie e Chico Horta. O desfecho da categoria veio nos minutos finais. A dupla Átila Abreu e Leo Sanchez arriscou uma estratégia diferente de alongar o primeiro stint e ocupava a liderança até cinco voltas da bandeirada quando fez o último pit-stop obrigatório. Se não garantiu a vitória no geral, foi o suficiente para dar aos atuais campeões com os carros de motor 3.8 o triunfo na classe GT3 Sport.

A disputa da Carrera Sport foi intensa do início ao fim, envolvendo os carros #90 (Eduardo Azevedo e Ricardo Mauricio), #0 (Cacá Bueno e Marcelo Franco) e #3 (Fran Lara e Nelson Piquet Jr). Eles terminaram nesta ordem, com o #90 conquistando também o quinto e último lugar no pódio geral da corrida.

Pela classe GT3 Trophy, a exemplo do que aconteceu na Carrera Cup, os poles Nelson Marcondes e Nelson Monteiro converteram a posição de honra em vitória. O triunfo veio depois de um formidável duelo com o carro #83, de Marco e Maurizio Billi.

A Porsche Cup retoma sua temporada de Sprint dentro de duas semanas, para a primeira rodada tripla de 2020, em Interlagos.

 

A corrida

Neugebauer manteve a liderança depois da largada, seguido por Guilherme Salas, Kaesemodel, Dennis Dirani e Paludo. Mais atrás, Fran Lara perdeu duas posições, e Marcelo Franco ganhou duas posições para chegar ao sexto lugar. Numa primeira volta limpa entre os ponteiros, a maior disputa foi Ricardo Baptista e Sérgio Jimenez, que saiu da pista na chicane mas voltou ao traçado.

Na classe GT3, Urubatan Jr. assumiu a liderança, seguido por Chico Horta e Paulo Totaro. Lucas Salles, que saiu na pole da categoria, passou em 17º no fim da primeira volta e quarto na categoria, mas depois passou Totaro e subiu para terceiro. Na GT3 Sport, o líder era Leo Sanchez.

Na segunda volta, Dirani passou Kaesemodel no fim da reta dos boxes. Paludo tentou ir na carona, mas se manteve em quinto. No fim da mesma volta, Salas partiu para cima de Neugebauer e assumiu a liderança na última curva da pista. Na abertura da quinta volta, Paludo também passou Lico e pulou para quarto, e Jimenez se recuperou da escapada e já passou em sétimo no geral, com a volta mais rápida.

Depois de uma escapada na quinta volta, Urubatan Jr. perdeu a liderança da classe para Chico Horta. Em seguida, Urubatan foi para os boxes trocar os dois pneus do lado direito que estavam furados. Logo depois, o carro #45 de Fábio Carbone passou Horta e assumiu o 14º no geral e a liderança das classes GT3 e Sport. Na categoria Trophy, Nelson Marcondes travou o pneu, e Marco Billi tomou a liderança, em 20º no geral.

Na sexta volta Jimenez seguiu progredindo e já estava em sexto no geral e na liderança da Carrera Sport. Com 12 minutos, o carro #31 abriu a rodada de pit stops com Luca Seripieri, atual campeão da Endurance Series, com problemas no radiador. A partir daquele instante, toda parada acima de seis minutos seria contabilizada como pit stop obrigatório.

Com 20 minutos de corrida, Salas tinha uma vantagem de 7s5 na liderança. Em segundo, Neugebauer defendia muito bem a posição contra Dennis Dirani, que estava 0s5 atrás, mas sem efetivamente ameaçar a colocação. Na GT3, a liderança era de Carbone, com o 12º lugar no geral, seguido por Salles, Horta, Sanchez e Billi.

Na 18ª volta, em meio à negociação de ultrapassagem com os retardatários, Dirani aproveitou para passar Neugebauer no fim da reta dos boxes. Paludo e Kaesemodel encostaram em Werner e passaram a protagonizar uma disputa tripla pelo terceiro lugar.

Ricardo Maurício foi o primeiro a entrar no carro para iniciar o segundo stint, depois de um pit stop muito preciso. Fran Lara também entrou nos pits, em oitavo no geral, assim como Rouman Ziemkievicz, em 12º. Com 20 voltas de corrida, Billi rodou à frente de Horta na chicane e perdeu terreno, mas conseguiu voltar sem necessidade de safety-car.

Na volta 22, Jimenez entrou no top5 ao passar Kaesemodel no fim da reta principal, enquanto Salas já liderava com 11s8 de vantagem sobre Dennis. Neugebauer entrou nos boxes para o pit stop, mas permaneceu no carro #8 para o segundo stint, deixando Ricardo Zonta para a parte final da prova. A mesma estratégia foi adotada pelo carro #3, de Fran Lara e Nelsinho Piquet.

Na classe GT3, com uma tocada muito firme, Fábio Carbone era o líder e o sétimo no geral. Salles, Horta e Sanchez vinham a seguir. Na Trophy, Marco Billi, em 11º, liderava.

Carbone entrou nos boxes na abertura da volta 26, e a liderança passou para Horta no carro #77.

Na abertura da 30ª volta, Kaesemodel levou o carro #91 para os boxes e deu lugar a Felipe Massa. Paludo entrou nos pits na mesma volta. Na GT3, com as entradas de Carbone e Horta, Sanchez assumiu a ponta, em sexto no geral. Também alogando o stint, vinham a seguir Eduardo Menossi e Ayman Darwich, este liderando na classe Trophy.

Logo depois, Jimenez entrou nos boxes, e apenas três carros ainda deviam o primeiro pit: Salas, Dennis, Sanchez (liderando na GT3). Dirani entrou nos pits no fim da volta 31, enquanto Salas parou na passagem seguinte, completando 32 voltas com o mesmo tanque. Apenas Sanchez permanecia na pista, em terceiro no geral.

O segundo stint já começou quente, com Ricardo Maurício pressionando bastante Felipe Massa. O vice-campeão da F1 em 2008 mal saiu do box e não teve refresco, já foi bastante atacado, mas defendia a sétima posição com estilo. No topo, seguia Leo Sanchez, com 33 voltas com o mesmo tanque e liderando tanto no geral como na GT3.

Com uma excelente estratégia, Sanchez cumpriu as suas 36 voltas dentro do primeiro stint e foi o último carro a parar, dando lugar a Átila Abreu na liderança tanto da GT3 Cup como da Sport, como na corrida. Apesar do risco de estender tanto o stint, a partir de então, Átila ficaria com o carro até o fim da prova.

Atrás, entre todos que já haviam feito suas paradas, Pedro Aguiar assumiu a liderança com o #20, seguido pelo carro da Shell, com Werner, e Beto Gresse vinha em terceiro, à frente de Massa e Maurício. Este passou por Felipe enquanto Gresse atacava Neugebauer até ultrapassá-lo na volta 39 na entrada da reta oposta. Aguiar liderava com 20 segundos de vantagem. Em quarto, Ricardo Maurício liderava na classe Carrera Sport.

Saindo dos pits, Átila assumiu o carro #15, em 13º no geral e liderando a GT3 e a GT3 Sport. Na GT3 Trophy, Nelson Monteiro liderava com o carro #199, na 17ª colocação.

A segunda rodada de pits foi aberta pelos carros #3, de Fran Lara, e #19, de Lucas Salles, com 1h08 de prova. Voltariam respectivamente Nelsinho Piquet e Rafael Suzuki. Neugebauer levou o carro para os boxes depois de 42 voltas para entregá-lo a Ricardo Zonta, que iria até o fim. Pedro Aguiar também parou, na volta 43, e Gresse tomou a liderança com o carro #7. Massa, Feldmann e Cacá Bueno vinham a seguir.

Na GT3, o líder era César Ramos no carro #18, à frente de William Freire e Paulo Totaro, líder na Sport. Na sequência, vinha Nelson Monteiro, em 15º no geral, quarto na GT3 e líder na Trophy.

Depois de 45 voltas e metade da prova completada, Gresse liderava no carro #7, à frente de Massa e Feldmann, que colocava muita pressão em busca do segundo lugar, com Cacá Bueno e Rodrigo Mello. Em sexto, num excelente stint, Gabriel Casagrande colocou o carro #80 em destaque, com a melhor volta da corrida.

Com a disputa entre Massa e Feldmann pelo segundo lugar, Gresse abria uma vantagem na liderança, e Cacá se aproximava deles, a menos de cinco segundos. Massa entrou nos boxes na volta 50 e, junto a ele, todos os demais ponteiros, Gresse, Feldmann e Cacá. Bruno Baptista ficou na pista e assumiu a liderança. Pela GT3, César Ramos continuava na ponta, seguido por William Freire, Maurizio Billi, nono no geral e líder na Trophy, e Átila.

Após mais uma rodada de pits, o duelo entre os carros #100 e #91 foi retomado, desta vez com Dennis Dirani substituindo Feldmann, e Massa seguindo. Após 1h30, apenas os dois primeiros, Bruno Baptista e Átila Abreu seguiam com um pit apenas.

Baptista parou depois de 57 voltas completadas, e Átila seguia estendendo o stint no carro #15, liderando na classe e no geral. Com 1h45 de prova, a 25 voltas do fim, Abreu seguia na ponta com apenas um pit realizado, e, entre os carros com dois pits, a ordem era: Ricardo Maurício, Pedrinho Aguiar, Beto Gresse, Ricardo Zonta, Felipe Massa e Dennis Dirani.

Átila fez o segundo pit na 65ª volta, e a liderança ficou com Ricardo Maurício. Pedro Aguiar tinha dificuldade de manter o ritmo, e Beto Gresse aumentava a pressão sobre o carro #20. Ricardinho entrou logo depois para a última parada, e Aguiar assumiu a ponta, ainda pressionado por Gresse. Massa era o terceiro a essa altura, a 5s6 do líder, faltando 1/4 de prova.

Gresse entrou nos boxes depois de 67 voltas, e Massa assumiu o segundo lugar. O estreante do dia tirava entre um e dois segundos por voltas do carro #20. Felipe tomou a ponta na reta oposta na volta 70. Aguiar não conseguiu se defender e foi para os boxes. Com isso, Nelsinho Piquet avançou para o segundo lugar. Mas este entrou nos boxes na volta 72, mesma passagem em que Casagrande descontou uma volta do líder, com um stint muito rápido, era o mais veloz da pista no momento.

Na 75ª volta, o carro #20 saiu dos boxes com Salas, e este estava para tomar uma volta do líder. Guilherme tentou defender para seguir na mesma volta de Massa, mas os carros tiveram um contato. Salas, que recebeu uma advertência da direção de prova, teve um pneu furado e teve de fazer um pit stop extra. Massa entrou nos boxes depois de completar a volta 75. A liderança voltou para Átila, que ainda devia o terceiro pit.

Entre os carros que já tinham cumprido as três paradas, Paludo passou Eduardo Azevedo na subida da Curva da Caipirinha, em duelo que poderia ser decisivo para as últimas posições de pódio. Na volta 76, Casagrande perdeu o carro depois da Curva da Caipirinha e bateu de frente na proteção de pneus, mas voltou à pista.

Em relação aos pilotos que não precisavam parar nos boxes e estavam numa corrida de Sprint até a bandeirada, o que estava em melhor condição era Ricardo Zonta, em quinto no geral. Miguel Paludo, Eduardo Azevedo e Alceu Feldmann vinham a seguir. Entre os que ainda deviam uma parada, o líder era Átila Abreu, a 11 voltas da bandeirada.

Com nove voltas para o fim, Átila liderava no geral, seguido por Zonta, que tinha sete segundos de vantagem sobre Paludo. Azevedo, Feldmann e Kaesemodel vinham nas posições seguintes. Abreu finalmente parou na volta 82, com 2h20 de prova. Na mesma volta, Lico ultrapassou Azevedo.

Zonta assumiu definitivamente a liderança a cinco voltas da bandeirada e tinha oito segundos de frente para Paludo. Feldmann era o terceiro colocado, mas com Kaesemodel a menos de um segundo, e Azevedo fechava o top5 como líder da classe Carrera Sport. Faltando três voltas para o fim, Lico passou Alceu na penúltima curva do traçado, com os carros esfregando porta a porta, e assumiu o terceiro lugar.

Enquanto isso, Átila Abreu voltava à pista depois da última parada obrigatória, em segundo lugar na classe GT3. William Freire, com o carro #77, superou o #15 durante o último pit stop. Apesar disso, Átila ainda era o líder na classe GT3 Sport.

Com tranquilidade, Zonta manteve uma boa vantagem para os adversários e conquistou a vitória para a parceria com Werner Neugebauer. Paludo, Kaesemodel, Feldmann e Azevedo fecharam o top5. Eduardo também foi o vencedor da Sport, enquanto Freire venceu na GT3 à frente de Átila (13º no geral e vencedor na Sport). Em 16º no geral e vencedor na Trophy, Nelson Marcondes/Nelson Monteiro.

Pouco mais de duas horas depois da bandeirada, o carro de Felipe Massa e Lico Kaesemodel teve acrescidos 20s ao seu tempo de prova pelos comissários desportivos. Assim terminou em sexto lugar. Como consequência, a dupla Cacá Bueno e Marcelo Franco herdou a quinta e última posição no pódio geral.

 

O que eles disseram:

“O Felipe Massa está fazendo um excelente trabalho, é muito difícil sair de um carro de fórmula para um de turismo, o carro mexe muito, tem calor, carro pesado, com certeza ele vai estar brigando mais pela vitória do que hoje. Eu tenho de agradecer a Deus pelo momento que estou vivendo. É fruto… Estou muito feliz mesmo, o Werner fez um ótimo trabalho, classificou bem para largarmos na frente, o stint dele foi muito forte porque todos os pilotos fortes estavam ali no grid na largada. Tínhamos um carro brilhante no meu stint, constante do começo ao fim. Deu para abrir oito segundos e consegui manter até o fim.”

Ricardo Zonta

 

“A estratégia deu na veia, já estamos fazendo essa mesma estratégia desde o ano passado e tem funcionado superbem. Larguei na pole, o primeiro stint não foi muito bom, perdi algumas posições. O segundo stint foi melhor, consegui recuperar e entregar o carro numa boa posição para o Zonta concluir a prova e voar no fim, trazendo a vitória para casa.”

Werner Neugebauer

 

“Foi bem emocionante, eles apostaram num safety car. Se tivesse um, ia ficar complicado para a gente, mas não teve, e foi tudo definido na pista. Estávamos bem, e o William fez um último stint muito legal para dar a vitória. A pista do Velocitta para Endurance é bem travada, bem técnica, e foi muito legal. Estou bem contente.”

Chico Horta

 

“Foi melhor do que esperávamos esse resultado final. Evoluímos muito durante os treinos para a etapa e na corrida fizemos uma estratégia muito diferente dos outros. A grande maioria quem terminou a corrida foi o piloto profissional. Optamos por ele andar os dois stints intermediários para ele conseguir a maior diferença possível para os outros colocados. Sabíamos que vencer a prova era muito difícil. Os pilotos que vinham disputando com a gente eram muito mais rápidos. Conseguimos a vitória na Sport que era nosso objetivo e deu para beliscar um pódio na geral também. Essas provas longas são incríveis, com um dinamismo muito diferente da Sprint. Parabéns ao Dener por mais esse evento espetacular e vamos para a próxima etapa.”

Eduardo Azevedo

 

“Na verdade, já tínhamos feito essa estratégia em outras pistas e tinha dado certo. A única coisa diferente que fizemos foi intercalar. Fiz o Dudu largar, fez poucas voltas, e já entrei para andar o máximo possível com pista livre, sem disputar com outros pilotos. Quando eu entrava na pista, estava com o pneu muito bom, enquanto o pessoal já começava a ficar com o pneu ruim, e os retardatários também estavam com o pneu ruim. Então, era mais fácil ultrapassar os retardatários. A dinâmica da nossa corrida foi muito boa, encaixou, e não teve nenhum safety car. Era abrir o máximo de vantagem possível para que, quando entregasse o carro para o Dudu, conseguíssemos administrar. Chegou o Alceu, cara muito rápido, deixamos passar e vamos na tocada dele. Lico? Vamos na tocada dele… Não adianta querer ficar trancando, seriam duas, três voltas amarrando, fazendo os dois carros ficarem mais lentos, e talvez perdêssemos a vitória na Sport.”

Ricardo Maurício

 

“Sabíamos que os adversários haviam se adaptado um pouco mais rápido que nós ao carro. Apostamos em uma estratégia diferente. Ano passado nós fomos campeões por conta das estratégias adotadas ao longo da temporada. Bolamos uma estratégia para essa etapa contando com pelo menos um safety car. Fiquei surpreso de não ter tido nenhum durante a prova. O plano B era para caso não acontecesse o safety car, mas ele não veio. O segundo colocado no geral e vitória na classe foi um ótimo final de semana. Essa foi a etapa onde tivemos mais dificuldades desde que começamos a correr como dupla, por tanto um ótimo resultado.”

Átila Abreu

 

“Hoje foi um dia cansativo. No fim do stint que fiquei direto, fiz 36 voltas, estava tudo, pneu gasto, desgaste físico, calor… Mas consegui fazer um bom desempenho, não foi como eu gostaria, rodei uma hora, perdemos dez segundos, o que poderia ter dado um resultado um pouco melhor. Vim para ficar entre os três primeiros, claro que gostaria de ter ficado em primeiro, mas o segundo é um bom resultado. Vamos conseguir fazer um bom trabalho na próxima pista, que é Goiânia, e tentar buscar o primeiro, e chegar na última corrida, em Interlagos, para tentar o título da geral. O Átila mandou muito bem, é espetacular, estou muito feliz.”

Leo Sanchez

 

“Sorte e azar definiram nossa etapa. Começando pelo azar da quebra da bomba de combustível na descida do saca-rolhas. Consegui chegar na banguela até o box e pegar o carro reserva. Meu parceiro fez o stint dele com o carro reserva. Na parada dele nos boxes o radiador nos deixou na mão e fomos para o segundo carro reserva, terceiro carro da prova. O carro estava incrível, conseguimos escalar o pelotão na pista para fechar a etapa.”

Nelson Marcondes

 

“No fim, estávamos numa disputa com o Billi, o meu stint foi bem complicado. Perdemos o balanceamento do pneu, parecia que tinha dechapado um deles. Mas depois vimos, na verdade era o balanceamento, foi bem difícil fazer dois stints seguidos. Mas o Nelsinho conseguiu fazer a ultrapassagem no Billi e acabou em primeiro.”

Nelson Monteiro

 

“Foi um dia bem produtivo, desde os treinos estávamos rápidos, lideramos os treinos, e na classificação infelizmente o Betinho não conseguiu fechar uma volta. Foi o único motivo de não ter largado mais à frente. Mas viramos a página ontem à noite, trabalhamos no carro e deu tudo certo. Uma largada sem toques, consegui poupar um pouco de pneu, vi que os quatro primeiros na minha frente estavam imprimindo um ritmo forte. Isso compensou do meio do stint para a frente, fiz 30 voltas e aí fizemos a parada. Fizemos ajustes no carro, o Beto usou o mesmo pneu, segurou a bronca e fez um ritmo excepcional. No fim, fiquei com um pneu de 20 poucas voltas para acabar a corrida, ou seja, um pneu novo. Foi superpositivo, agradeço ao Beto pelo trabalho de sempre, feliz por começar o campeonato de forma competitiva na Sprint e na Endurance.”

Miguel Paludo

 

“Foi excelente! Cometi um erro na classificação e acabei comprometendo bastante o quali. Saímos em quinto na média porque o Miguel fez uma excelente classificação, mas sabemos que a consistência aqui é o mais importante e conseguimos aplicar isso muito bem durante a prova. Disputamos entre as três primeiras posições na maior parte da prova. Fiz um stint em que acabei replicando o pneu, não foi nada fácil negociar ultrapassagem com outros carros. Mas foi ótimo, saímos com o segundo lugar, agradeço ao Miguel pela confiança.”

Beto Gresse

 

“A corrida foi boa, conseguimos recuperar algumas posições que tínhamos perdido no começo da prova. Saí para a minha primeira corrida numa pista que eu não conhecia, com um carro diferente, com um pneu usado, e acabei sofrendo um pouco. Mesmo assim, foi bom, e a segunda saída foi muito boa, consegui recuperar, ultrapassei carros e briguei com um ritmo muito mais rápido. Isso nos fez recuperar bastante, gostei, me adaptei bem ao carro. O Lico fez uma última saída curta, com o pneu bem bom, e ajudou ainda mais nessa recuperação. Foi um bom resultado, talvez na estratégia pudéssemos ter feito uma coisinhaa melhor, usar o pneu melhor na segunda saída. Talvez tivéssemos perdido menos tempo e pudéssemos ter brigado pelo segundo lugar ou até pelo primeiro. Gostei bastante, um evento superorganizado, queria dar parabéns ao Dener e toda a organização. Um lindo evento, um grande prazer estar aqui.”

Felipe Massa

 

“Corrida muito boa! O Marcelo teve uma evolução enorme de quinta até o dia da prova. Lógico que eu queria ganhar, tinha esperanças de vitória. Com mais de duas horas de prova, chegamos a quatro segundos do vencedor. Andamos bem, boa disputa, principalmente ali com o Dudu, Ricardinho, Lara, Nelsinho, todos muito perto. Estou bem feliz de estar na categoria, da performance da dupla, da perspectiva para o campeonato, até mesmo na geral demos trabalho em alguns momentos. Sexto na geral e segundo na categoria, Marcelo estava parado havia muito tempo, não tenho dúvida de que vamos vir ainda mais fortes nas próximas.”

Cacá Bueno

 

“Foi uma corrida bem bacana. Consegui fazer boas ultrapassagens no meu stint e entreguei em segundo para o Alceu. Ele acabou perdendo um pouco de tempo em uma confusão e caímos para a sexta posição. Estávamos na disputa com o Lico pela terceira posição até o final, mas ele acabou terminando na nossa frente. Foi nossa primeira corrida juntos, o resultado foi bem bom. O carro estava equilibrado e rápido, agora é encaixar nossa melhor estratégia para conseguir resultados melhores.”

Dennis Dirani

 

“Foi uma prova muito difícil, fisicamente muito exigente. O calor dentro do carro estava muito forte. Pessoalmente fiquei muito cansado depois do segundo stint, o que me causou um pouco de queda no desempenho. De forma geral a prova foi muito boa e ficamos muito contentes com o resultado.”

Lucas Salles

 

“O dia de hoje foi de muito aprendizado. Estava muito quente hoje, estava difícil de manter ali. O Cesinha também fez um belo trabalho mantendo o carro. Agora é focar na próxima, aprender sempre.”

Zeca Feffer

 

“Foi legal, a categoria está muito mais competitiva do que no ano passado, várias duplas boas. Chegar ao pódio depois de três horas é sempre legal, faltou um pouquinho, vamos tentar entender um pouco e aprender, para subir mais na próxima corrida.”

César Ramos

 

“O Carbone é sensacional, ele pilota muito! Sai muito cansado do meu segundo stint e na terceira volta eu dei uma freada na reta oposta que acabou com o carro. Vim me segurando na medida do possível. Era para termos conquistado um resultado muito melhor que esse. Para coroar a etapa ainda rodei na última volta. São coisas que acontecem. Espero que na próxima eu esteja melhor preparado e o calor não castigue tanto quanto hoje.”

Paulo Totaro

 

“Foi uma experiência incrível e um prazer imenso participar do evento. Para nós é um mundo completamente novo, começando praticamente do zero. Foram momentos muito prazerosos, foi sensacional estar no meio de tantos pilotos consagrados, andando com um carro fantástico em um evento muito bem organizado. Só alegria pela experiência. Agora precisamos fazer nosso dever de casa e evoluir cada vez mais.”

Guiga Spinelli

 

Resultado

Carrera Cup

Werner Neugebauer e Ricardo Zonta 3h31:56.406
Miguel Paludo e Beto Gresse +10.641
Alceu Feldmann e Dennis Dirani +27.273
Eduardo Azevedo e Ricardo Mauricio* +39.605
Marcelo Franco e Cacá Bueno* +44.060
Lico Kaesemodel e Felipe Massa +26.745***
Fran Lara e Nelson Piquet Jr* +58.704
Pedro Aguiar e Guilherme Salas -1 volta
Rodolfo Toni e Danilo Dirani* -1 volta
Rouman Ziemkiewicz e Gabriel Casagrande* -1 volta
Ricardo Baptista e Bruno Baptista -1 volta
*Classe Sport

GT3 Cup

Francisco Horta e William Freire -2 voltas
Leo Sanchez e Átila Abreu* -2 voltas
Lucas Salles e Rafael Suzuki -2 voltas
Zeca Feffer e Cesar Ramos -2 voltas
Nelson Marcondes e Nelson Monteiro** -3 voltas
Marco Billi e Maurizio Billi** -3 voltas
Ricardo Fontanari e Matheus Iorio* -3 voltas
Paulo Totaro e Fabio Carbone* -3 voltas
Alexandre Auler e Renan Guerra -3 voltas
Antonio Junqueira e Alberto Cattuci -3 voltas
Urubatan Junior e Enzo Elias -3 voltas
Rodrigo Mello e Sergio Jimenez* -3 voltas
Guiga Spinelli e Lucas Moraes** -3 voltas
Ayman Darwich e Eduardo Menossi** -3 voltas
Cristian Mohr e Kreis Jr** -4 voltas
André Gaidzinski e Marcio Mauro** -5 voltas
Luca Seripieri e Alan Hellmeister -6 voltas
Georgios Frangulis e Gaetano di Mauro* -6 voltas
*Classe Sport

** Classe Trophy

***Punido em 20s por incidente com o carro #100

 

Os Campeonatos

Carrera Cup

W. Neugebauer / Ricardo Zonta 68 pontos
Miguel Paludo / Beto Gresse 61
Alceu Feldmann / Dennis Dirani 55
Edu Azevedo / Ricardo Mauricio 40
Marcelo Franco / Caca Bueno 45
Lico Kesemodel / Felipe Massa 40
Fran Lara / Nelson Piquet Jr 36
Pedro Aguiar / Guilherme Salas 33
Rodolfo Toni / Danilo Dirani 29
Rouman Ziemkiewicz / G. Casagrande 26
Ricardo Baptista / Bruno Baptista 24
Rodrigo Mello / Sergio Jimenez 22
Luca Seripieri / Allan Hellmeister 20
Carrera Sport

Edu Azevedo / Ricardo Maurício 72
Marcelo Franco / Caca Bueno 60
Fran Lara / Nelson Piquet Jr 48
Rodolfo Toni / Danilo Dirani 42
Rouman Ziemkiewicz / G. Casagrande 36
Rodrigo Mello / Sergio Jimenez 30
GT3 Cup

Chico Horta / Willian Freire 68
Leo Sanchez / Atila Abreu 61
Lucas Salles / Rafael Suzuki 55
Zeca Feffer / Cesar Ramos 50
Nelsinho Marc / N. Monteiro 45
Marco Billi / Maurizio Billi 40
Ricardo Fontanari / Mateus Iorio 36
Paulo Totaro / Fabio Carbone 33
Ale Auler / Renan Guerra 29
A. Catucci / A. Junqueira 26
Urubatan Jr / Enzo Elias 24
Guiga Spinelli / Lucas Moraes 22
Ayman Darwich / Edu Menossi 20
Christian Mohr / Kreis Jr 18
A. Gaidzinski / Márcio Mauro 16
Georgios Frangulis / G. Di Mauro 14
GT3 Sport

Leo Sanchez / Atila Abreu 72
Nelson Marcondes / N. Monteiro 60
Marco Billi / Maurizio Billi 48
Ricardo Fontanari / Mateus Iorio 42
Paulo Totaro / Fabio Carbone 36
Guiga Spinelli / Lucas Moraes 30
Ayman Darwich / Edu Menossi 24
Christian Mohr / Kreis Jr 18
A. Gaidzinski / Márcio Mauro 12
Georgios Frangulis / G. Di Mauro 6
GT3 Trophy

Nelson Marcondes / N. Monteiro 72
Marco Billi / Maurizio Billi 60
Guiga Spinelli / Lucas Moraes 48
Ayman Darwich / Edu Menossi 42
Christian Mohr / Kreis Jr 36
A. Gaidzinski / Márcio Mauro 30