Em dia de muito sol e forte calor, certame regional paulista realizou evento duplo, com três baterias para cada categoria.

Kartista da Bahia teve grande atuação

O sábado 12 de setembro marcou a realização de evento duplo da FASP – Federação de Automobilismo de São Paulo, no mítico Kartódromo Ayrton Senna – Interlagos -, situado na Zona Sul da capital paulista. Repetindo o palco do circuito que cristalizou as carreiras de Ayrton Senna, Tony Kanaan, Helio Castroneves, Rubens Barrichello, Felipe Massa e centenas de outros “feras” internacionais do esporte a motor, a Copa São Paulo Light de Kart, realizou as provas de sua sexta etapa, bem como a bateria restante da 5ª etapa do campeonato, que foi interrompida em seu curso face às fortes chuvas que se abateram sobre o Kartódromo de Interlagos naquela rodada de 22 de agosto.

No grid da categoria Sprinter – destinada aos kartistas Novatos e Graduados B – estava o Tony Kart #54 do “driver” soteropolitano Diogo Moscato (Transportadora Moscato/ Euro Grãos Transportes / Jonas Kart). Liberada a pista para a tomada de tempos classificatórios, que determinariam a ordem dos bólidos na grelha de partida da primeira bateria da sexta etapa da Copa São Paulo Light de Kart, Moscato partiu disposto a lutar pela pole position de sua categoria. Todavia, o “set-up” de seu kart não se mostrou o ideal para as condições de pista com o forte calor do sábado e, com apenas dez minutos de qualy, Diogo teve de se contentar com a P6 da grelha de partida.

Luz verde para a corrida e Moscato conseguiu impor um bom ritmo de prova e conquistar posições, para terminar na 4ª colocação. Porém, no Parque Fechado, Moscato que acabou penalizado com 5 segundos de acréscimo ao tempo total de prova, em razão de ser constatado pelos Comissários Técnicos que o bico retrátil de seu kart estava fora de posição – o que é proibido pelo regulamento -, por conta de um contato mais forte da peça de segurança com as altas zebras do circuito. Com isso, ante a punição, acabou caindo para o sexto posto final daquela prova.

Na segunda bateria, que teve coo alinhamento a ordem de chegada da prova inicial, Diogo largou novamente em sexto. Com uma tocada agressiva foi conquistando posições rapidamente, para completar a quinta volta de corrida já instalado na P2. Apesar da veloz evolução no posicionamento a corrida estava extremamente disputada, e foi marcada pela boa disputa entre os integrantes do compacto pelotão formado pelos cinco primeiro colocados, com grande alternância de posições. Digo chegou a cair do segundo para o quinto posto, mas recuperou-se rapidamente, para retomar a vice-liderança da corrida, que manteve sob controle até a checkered flag.

Completadas as duas corridas válidas pela sexta etapa da Copa são Paulo Light de Kart, era hora de “rebobinar a fita” e se disputar a terceira e última bateria da categoria Sprinter, essa válida como bateria restante da etapa anterior (5ª etapa), que não foi realizada na rodada de agosto em função das fortes chuvas que se abateram sobre o circuito de Interlagos e a falta de iluminação artificial ao longo de todo o percurso (somente parte do kartódromo é iluminado), que se fazia necessária, ante o adiantado da hora. Ante tais óbices a corrida que definiria o resultado da quinta etapa do certame regional paulista foi adiada, para acontecer em conjunto às provas desta sexta rodada do certame.

Por ter vencido espetacularmente a segunda bateria da quarta etapa da categoria Sprinter – reservada aos pilotos das classes Graduados B e Novatos –, que valia, também, como primeira bateria da quinta rodada do campeonato, coube ao kartista soteropolitano da equipe Transportadora Moscato/ Euro Grãos Transportes / Jonas Kart o direito de alinhar seu #54 TonyKart na pole position da prova “flutuante’ no tempo.

Diogo largou bem e manteve a dianteira nas sete primeiras voltas, quando o motor de seu kart perdeu rendimento e foi superado pelo então vice-líder da corrida.  Mesmo com problemas, Moscato buscou acompanhar de perto o kart novo líder, para eventualmente tentar retomar a ponta da corrida mais adiante. Todavia, três voltas depois, recebeu um forte toque na traseira de seu kart durante o contorno da veloz Curva da Esplanada. Seu kart derivou e dava pinta que ia fazer um longo passeio pelo gramado de Interlagos, mas, no braço, o piloto da Bahia conseguiu retomar a trajetória, para ainda manter, ao menos, a terceira colocação.

O train de corrida de todos ponteiros era muito próximo, pelo que tornou-se impossível fazer a aproximação dos dois micromonopostos que ocupavam as posições cimeiras. Mesmo com nítido problema de potencia no motor sorteado de seu kart – que lhe dava desempenho semelhante ao da Ferrari na F1 – Moscato conseguiu controlar os ataques de quem vinha atrás e divisou a bandeira a quadros ocupando a P3.

Todavia, momentos depois de encerrada a corrida e já no Parque Fechado, os Srs. Comissários Desportivos divulgara entendimento que o toque na traseira do #54 de Diogo Moscato, que lhe fez perder a segunda posição na prova e a possibilidade de manter-se próximo ao líder da corrida, para que buscasse dar combate pelo posto e vitória daquela manga, havia acontecido de forma irregular e proposital, pelo que aplicaram ao desastrado concorrente autor da “gentileza” a pena de adição de 20 segundos ao tempo total de prova, ante a clara e írrita atitude antidesportiva.

Com isso, Moscato foi alçado ao segundo posto final da corrida. Com a P2 nesta bateria finalizadora da quinta etapa da Copa Light e a vitória em meio ao dilúvio da segunda bateria da quarta etapa, válida, também, como primeira bateria da quita etapa, Diogo Moscato faturou a vitória da quinta etapa do campeonato regional paulista. Sua estreia no alto do pódio de uma etapa do mais disputado campeonato bandeirante.

Ao final do longo e cansativo dia de provas muito disputadas, Diogo Moscato detalhou sua participação: – “Estou feliz por ter vencido a quinta etapa do campeonato, que começou na etapa chuvosa de agosto e terminou neste sábado ensolarado. Venci a segunda corrida, justamente a que aconteceu debaixo de uma forte chuva. Sou baiano, da terra do sol e lá nunca corri na chuva. Só tinha andado com pista molhada na F4, que tem uma pilotagem muito diferente da que aplicamos no kart com motor dois tempos. Na verdade essa foi a primeira vez que andei com um dois tempos na chuva. Foi minha estreia e consegui vencer. Perdi o receio de vez, agora me sinto um pato na água. Adoro correr na chuva”.

“Nesta sexta etapa consegui conquistar bons resultados e pontos importantes para o campeonato. Eu não corri a primeira etapa da Sprinter e, também, não corri a terceira etapa, por conta da pandemia. Estou em quarto no campeonato, computados os pontos corridos, mas, considerados os descartes do regulamento, estou em segundo, só a quatro pontos do líder e, portanto, na briga pelo título da temporada”, esclareceu o representante da Transportadora Moscato, Euro Grãos Transportes e equipe Jonas Kart. “Não posso deixar de agradecer o apoio de meus patrocinadores, Transportadora Moscato e Euro Grãos Transportes, bem como o incansável trabalho de minha equipe, a Jonas Kart e do competente Engenheiro Erik Lutum, responsável pela telemetria de meu kart”, complementou o piloto de apenas 16 anos de idade.