Pipo Derani (foto: Richard Prince)

Pipo Derani (foto: Richard Prince)

O brasileiro Pipo Derani foi o quito colocado no retorno do IMSA WeatherTech SportsCar Championship, que teve no último sábado (dia 4) a disputa da segunda etapa da temporada 2020 no Daytona International Speedway, na Flórida (EUA).

O fim de semana foi bastante agitado para Pipo, que teve um novo companheiro na prova. O colombiano Gabby Chaves substituiu Felipe Nasr, que foi diagnosticado com Covid-19 e não chegou a ir para Daytona.

A etapa começou com atraso, após uma forte chuva cair no circuito. Largando da sexta posição, conquistada por Chaves no classificatório, a equipe Action Express Racing decidiu iniciar a disputa com pneus slick no #31 Whelen Engineering Cadillac DPi-V.R, o que poderia ser uma vantagem caso a previsão se confirmasse e a pista secasse o mais rápido possível.

Chaves chegou a perder algumas posições no início da prova, mas logo assumiu a ponta, quando os demais times precisaram parar para a troca de pneus e a estratégia da Action Express parecia funcionar.

Quando Derani assumiu o cockpit, o carro brigava pelas três primeiras posições, mas com a necessidade de economizar combustível, mais do que os rivais, Derani não conseguiu conter o ataque de alguns carros, apesar de algumas belas manobras do campeão das 24 Horas de Daytona de 2016.

“No final, foi tudo questão de uma estratégia diferente, já que tentamos iniciar a corrida com pneus slick. E, entre os carros que estavam com essa estratégia, chegamos à frente”, comentou Derani.

“O Cadillac da Wayne Taylor Racing com o Renger Van Der Zande e o Ryan Briscoe também estavam na mesma estratégia e chegaram atrás de nós”, lembrou o brasileiro de 26 anos.

“Mas foi uma pena, porque em determinado momento achamos que a estratégia de três pit stops parecia boa, ao invés de quatro. Mas, infelizmente, não funcionou no final”, disse.

“Tivemos de economizar muito mais combustível que os demais, o que nos custou muito no stint do meio”, explicou Derani, que ficou feliz por voltar ao cockpit do #31 Whelen Engineering Cadillac DPi-V.R.

“Foi muito bom correr novamente e estar com todos da Whelen Engineering Racing. Uma pena o Felipe não estar conosco este fim de semana. Mas espero que ele esteja de volta em Sebring”, destacou.

“Mas no geral foi uma corrida positiva para a equipe e o Gabby Chaves fez um ótimo trabalho no seu retorno à equipe, após um ano e meio, diante de todas as circunstâncias”, finalizou Derani, lembrando que o colombiano correu com o time em 2018 em Petit Le Mans.

A próxima etapa do IMSA acontece semana que vem, entre os dias 16 e 18, no Sebring International Raceway, pista onde Derani conquistou em março de 2019 seu terceiro título nas 12 Horas de Sebring, o primeiro deles com a Action Express Racing.

Resultado da 2ª etapa em Daytona (DPi):
1 #55 J. Bomarito / H. Tincknell (Mazda Motorsports Mazda DPi) 95 voltas em 2:40:11.281
2 #77 O. Jarvis / T. Nunez (Mazda Motorsports Mazda DPi) +10.168
3 #5 J. Barbosa / S. Bourdais (Mustang Sampling Racing / JDC-Miller Cadillac DPi) +15.378
4 #6 D. Cameron / J. Montoya (ACURA TEAM PENSKE Acura DPi) +27.335
5 #31 P. Derani / G. Chaves (Whelen Engineering Racing Cadillac DPi) +31.275
6 #10 R. van der Zande / R. Briscoe (Konica Minolta Cadillac DPi-V.R Cadillac DPi) +1’06.779
7 #85 C. Miller / T. Vautier (JDC-Miller MotorSports Cadillac DPi) +1’18.511
8 #7 H. Castroneves / R. Taylor (ACURA TEAM PENSKE Acura DPi) Não completou