Brasileiro chegou a entrar na pista, mas sequer pôde acelerar para valer na Áustria.

O primeiro dia de trabalhos para a rodada dupla que abre a temporada da Fórmula 3 FIA, em Spielberg, na Áustria, foi frustrante para o mineiro Igor Fraga, piloto que faz sua estreia no principal campeonato da categoria em todo o mundo. Pela manhã um problema na unidade eletrônica de gerenciamento do motor (ECU, engine control unit, em inglês) tirou Igor da pista por boa parte do treino livre e, depois, na classificação foi a vez de um conector da mesma unidade eletrônica impedir o brasileiro de terminar as tomadas de tempo. Com isso, sem marcar volta rápida, Igor largará da última fila entre os 30 inscritos, ao lado do também brasileiro Enzo Fittipaldi, da HWA Racelab. A pole foi registrada pelo espanhol Sebástian Fernández, da equipe ART Grand Prix, com a marca de 1min19s445, média de 195,667 km/h.

“Realmente foi bastante frustrante, em especial por que no ano passado obtive uma vitória inesquecível aqui mesmo em Spielberg em outra categoria de Fórmula 3”, lembrou Fraga, que, como bicampeão mundial de automobilismo virtual, tem a temporada bancada pelo jogo de corridas Gran Turismo. “Agora é fazer uma corrida de recuperação amanhã, sábado, e tentar fazer o melhor que puder”, completou o piloto da equipe Charroux Racing System.

Fraga também corre pela primeira vez como piloto oficial do programa de desenvolvimento de jovens talentos da equipe Red Bull de Fórmula 1. Igor explica que as complicações começaram já nos treinos preparatórios. “O primeiro treino foi em uma condição difícil, por que começou com piso molhado e foi secando, mudando o nível de aderência a cada volta. Tivemos poucas voltas para nos adaptar. Chegamos a colocar pneus slick e tentei me adaptar da melhor maneira possível”, detalha ele.

“Mas o problema elétrico apareceu logo no começo. Desligava o rádio e o painel, e o motor falhava também. Então fui para o box e voltei somente para os dez minutos finais. O ajuste do meu carro não se encaixou para aquele momento. Mas a equipe já tinha um acerto melhor para usarmos, então eu estava otimista para a classificação, por que ainda fiz o oitavo tempo no treino livre. Além disso no tempo que fiquei parado no box eu não usei o combustível e por isso estava com o carro mais pesado que os demais quando fiz minha melhor volta. Então, com o carro com o mesmo peso que os demais, eu deveria melhorar um pouco meu ritmo”, destaca.

Nas tomadas de tempo, mesmo com poucas voltas, Fraga estava otimista com o novo acerto proposto pela equipe. “Mas eu sequer pude experimentar direito. Dei quatro voltas para aquecer o carro e os pneus e quando me preparava para andar forte o problema voltou a acontecer. Amanhã, teremos uma missão difícil. Mas vamos fazer o melhor que pudermos”, finaliza o piloto da equipe Charroux Racing System.

A primeira corrida da rodada dupla na Áustria está marcada para as 5h25 da manhã. Já a etapa final, no domingo, larga às 4h45 (ambas no horário de Brasília).