Negociações em São Paulo, Londres, Maranello e Indianapolis movimentam o esporte.

Por Wagner Gonzalez

Interlagos pode reabrir para treinos em julho e corridas em agosto (Julio D'Paula)

Interlagos pode reabrir para treinos em julho e corridas em agosto (Julio D’Paula)

Pouco a pouco o automobilismo vai voltando ao normal, em alguns casos mais rápido, noutros nem tanto, mas sempre com muitas negociações para evitar tanto quanto possível a propagação do Coronavírus. Ontem, em São Paulo, o Secretário da Casa Civil Orlando Faria recebeu dirigentes e promotores para conversar sobre a possível reabertura de Interlagos, conversa que faz parte de um plano mais amplo. Na Europa, Mercedes e Ferrari se preparam para enfrentar as curvas e retas de pistas inglesa e italiana não em busca de melhorias mecânicas: com carros de 2018 essas equipes querem que seus mecânicos conheçam as limitações que vão caracterizar o modus operandi da F-1 2020. Nos Estados Unidos a F-Indy e a Nascar movimentaram o fim de semana com provas sem espectadores, algo impensável para Roger Penske. O dono de Indy já avisou: sem público as 500 Milhas de Indianapolis não acontecerão este ano. Não falta assunto para as infinitas lives e posts destes tempos de isolamento coercitivo.

Promotores apresentaram protocolos de sanitários para Orlando Faria (Divulgação)

Promotores apresentaram protocolos de sanitários para Orlando Faria (Divulgação)

A reunião com o secretário municipal teve a presença do presidente da Federação de Automobilismo de São Paulo (FASP), José Aloizio Cardozo Bastos, representantes das Confederação Brasileiras de Automobilismo e Motociclismo e das categorias Stock Car e Porsche Cup, além de vereador Rodrigo Goulart (PSD), cuja base eleitoral é a região de Interlagos. Ademais da apresentação de protocolos de funcionamento focados em distanciamento social, controle sanitário e presença mínima de pessoas nos boxes – as arquibancadas de Interlagos não serão abertas ao público -, foi proposta a reabertura da pista em duas fases. Na primeira, em julho, o circuito seria aberto para treinos e na segunda, em agosto, voltariam as corridas. A medida vale também para o kartódromo paulistano.

Essas negociações deverão ganhar maior dimensão ainda esta semana: Goulart e o presidente da FASP deverão se reunir com autoridades estaduais para pleitear a liberação de outras pistas espalhadas pelo interior de São Paulo, caso dos autódromos de Piracicaba e do Velo Città e kartódromos como os de Itu e o de Birigui, entre outros. De acordo com Cardozo Bastos “a proposta foi bem recebida e estou confiante que a análise detalhada dos protocolos apresentados vai contribuir muito para a liberação de Interlagos.” Goulart, por seu lado, encampou a ideia de que as limitações impostas aos esportes não se aplicam ao automobilismo “pois não se trata de um esporte de contato e tampouco teremos aglomerações, uma vez que o público não terá acesso às arquibancadas”.

Phillip Eng, pilotando a nova BMW M4, liderou treinos livres do DTM (BMW)

Phillip Eng, pilotando a nova BMW M4, liderou treinos livres do DTM (BMW)

 

Na Europa o processo está bem mais avançado: ontem a DTM realizou a primeira e quatro sessões de testes “pré-temporada” no traçado GP de Nürburgring. Nove pilotos participaram do ensaio – cinco pilotando Audi e quatro BMW – e o mais rápido foi o austríaco Phillipp Eng, que fez 1’19”204, cerca de quatro décimos abaixo do tempo que René Rast gastou par conquistar a pole position na prova de 2019 nessa pista. A temporada do DTM começa no primeiro fim de semana de agosto em Spa-Francorchamps, pista incluída nas oito etapas do Mundial de F-1 deste ano, no dia 30 de agosto.

Ross Brawn classificou Brasil, México e Rússia como alto risco para receber a F-1 este ano (Formula1.com)

Ross Brawn classificou Brasil, México e Rússia como alto risco para receber a F-1 este ano (Formula1.com)

A largada do campeonato acontece 5 de julho e todas as provas confirmadas até o momento acontecerão na Europa: Áustria (5 e 12/7), Hungria (19/7), Inglaterra (2 e 9/8), Espanha (16/8), Bélgica (30/8) e Itália (6/9). Em recente entrevista à BBC Sport Ross Brawn admitiu que “a situação instável em muitos países torna difícil confirmar a realização de provas nesses locais” e citou como os estados mais ameaçados de ficar fora do calendário 2020 Brasil, México e Rússia. Os promotores do GP do Brasil, porém, na última sexta-feira confirmaram que os planos de realizar a prova em Interlagos seguem firmes.

Mecânicos da Mercedes se habituam a trabalhar sob regras de distanciamento (Mercedes)

Mecânicos da Mercedes se habituam a trabalhar sob regras de distanciamento (Mercedes)

Em meio a tudo isso Mercedes e Ferrari trabalham para facilitar a adaptação de seus mecânicos e engenheiros às novas condições de trabalho: a primeira fará dois dias de treinos em Silverstone e a segunda em Fiorano. Circulam rumores que o teste da Ferrari poderia acontecer em Mugello, sede da etapa italiana da MotoGP, e também porque o local é passível de receber uma segunda corrida na Itália, logo após a etapa em Monza.

Mugello, autódromo situado na bela Toscana, pode receber segundo GP italiano em 2020 (Ferrari)

Mugello, autódromo situado na bela Toscana, pode receber segundo GP italiano em 2020 (Ferrari)

Se consumado, seria o cenário ideal para uma grande festa nacional: a nona etapa da temporada 2020 marca o milésimo GP da Scuderia de Maranello e celebrar esse marco em uma pista no país teria impacto bem maior do que em qualquer outro circuito.

Além do mais o autódromo situado em Scarperia, na Toscana, é de propriedade da Ferrari e o Automóvel Clube Italiano (ACI) apoia a ideia. Uma série de ilustrações com os principais pilotos e carros dessa história será lançada durante o ano.

Tal qual a esperada reabertura de Interlagos e as provas europeias, as competições nos Estados Unidos também acontecem sem a presença de público nas arquibancadas, situação que não deverá acontecer nas 500 Milhas de Indianapolis: sem a liberação de torcedores nas arquibancadas do Indianapolis Motor Speedway a famosa Indy 500 não vai acontecer. A ordem veio de ninguém menos que Roger Penske, atual proprietário do icônico circuito norte-americano onde há mais de um século é disputada uma das provas mais tradicionais do automobilismo.

Roger Penske: "Sem público nas arquibancadas não teremos a Indy 500" (Indycar)

Roger Penske: “Sem público nas arquibancadas não teremos a Indy 500″ (Indycar)

Por causa da pandemia do Coronavírus a competição foi transferida do feriado do Memorial Day (último fim de semana de maio) para o dia 23 de agosto; caso ainda haja restrições de eventos públicos nessa data Penske admite adiar novamente, para outubro. “Estamos nos preparando para realizar a corrida em agosto e acho que nessa época estaremos em condição para tanto. De qualquer maneira, a corrida só acontecerá com a presença de público.”