Foto: José Mário Dias

Foto: José Mário Dias

A Jaguar Racing confirmou que o Jaguar I-PACE eTROPHY terminará após a corrida final desta temporada.

A equipe Jaguar Racing confirmou hoje que o Jaguar I-PACE eTROPHY, categoria de turismo de apoio à Fórmula E, será encerrado após o final da temporada 2019/2020. As últimas corridas da segunda temporada devem acontecer ao longo do segundo semestre de 2020, caso a situação da pandemia de COVID-19 permita, seguindo as diretrizes da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Em 2018, a Jaguar criou a série eTROPHY – a primeira categoria de corrida internacional no mundo baseada em um modelo de produção 100% elétrico, reforçando o compromisso e a visão da marca em busca do Destination Zero – futuro com zero emissão de poluentes –, desenvolvendo tecnologia para veículos elétricos por meio das corridas.

A criação do eTROPHY marcou o retorno da Jaguar as corridas e a entrada no campeonato ABB FIA Fórmula E em 2016. Hoje, em sua quarta temporada, a equipe da marca, a Panasonic Jaguar Racing, continuará competindo e aumentando suas conquistas.

“Durante as duas últimas temporadas, o Jaguar I-PACE eTROPHY realizou corridas incríveis por todo o mundo, e foi uma adição valiosa para o calendário da Fórmula E. Ao lado de nossos pilotos e parceiros, estamos orgulhosos de termos criado um campeonato único como o eTROPHY. Juntos, fomos pioneiros no automobilismo com carros elétricos. Nós gostaríamos de agradecer a todos que se juntaram a nós durante essa jornada e transformaram nossa visão em realidade, ajudando a mostrar para toda a indústria as possibilidades da eletrificação no motorsport”, diz James Barclay, diretor do time da Jaguar Racing.

A equipe ZEG iCarros Jaguar Brazil, formada por Sérgio Jimenez e Cacá Bueno, foi destaque na primeira temporada da competição. Jimenez, vencedor de cinco das nove corridas do circuito, levou, em Nova Iorque, o troféu para casa, consagrando-se o primeiro campeão da categoria, além de receber um Jaguar I-PACE zero-quilômetro. Bueno não deixou barato e acompanhou o campeão durante todo o campeonato, terminando com apenas 20 pontos de diferença.

A missão da Jaguar de “Race to Innovate” permitiu que a marca pudesse usar o aprendizado e a experiência na Fórmula E e transformar o premiado Jaguar I-PACE no primeiro carro de corrida a bateria, baseado em um carro de produção. Dando continuidade à filosofia de longa data da Jaguar de levar a corrida para as estradas, a série eTROPHY colocou o 100% elétrico I-PACE em condições extremas de pilotagem, e as duas primeiras temporadas trouxeram números valiosos e aprendizado importante para os carros de produção.

“Nós nos mantemos totalmente comprometidos com as corridas eletrificadas e nosso programa da Jaguar Racing Fórmula E continua como parte importante da nossa transição de mobilidade elétrica e do Destination Zero. Estamos ansiosos para o resumo das temporadas da Fórmula E e do eTROPHY quando o mundo estiver seguro para nosso time, nossos parceiros e fãs”, completa Barclay.

Um aspecto-chave deixado pelo eTROPHY foi uma atualização de software de graça para todos os donos de I-PACE que entregou até 20 km a mais de autonomia numa carga completa. Essa mudança, disponível desde dezembro de 2019 e já instalada nas unidades mais recentes, utiliza melhoras derivadas das corridas para otimizar o gerenciamento da bateria, dos sistemas térmicos e da entrega de torque do sistema de tração integral.

Jamie Reigle, CEO da Fórmula E, comenta: “A Jaguar é um parceiro fantástico dentro e fora das pistas. O sucesso do eTROPHY de levar a tecnologia pioneira da marca desenvolvida a partir da Fórmula E e aplicá-la em seus veículos de alta performance é o atestado da sua capacidade como marca e de engenharia. Na Fórmula E, nós ficamos realizados de ter um suporte como esse para o projeto, que mostra como damos a nossos parceiros a liberdade de alavancar nossa plataforma para acelerar a adoção de carros elétricos. Estamos ansiosos para continuar o trabalho com a Jaguar Racing em seu programa com a Fórmula E”.

“Infelizmente, essa pandemia pegou todos de surpresa e alguns planos tiveram que ser revistos pela maioria das empresas. É uma pena que um campeonato histórico, como o eTROPHY, que foi o primeiro campeonato mundial de carros de turismo elétrico não vá continuar. Independentemente de qualquer coisa, nossa postura não vai mudar. Fui campeão na primeira temporada e estou na liderança da atual. A meta é fechar o campeonato com mais um título para o Brasil”, diz Sergio Jimenez, piloto da equipe ZEG iCarros Jaguar Brazil.

“Me deixa triste, como apaixonado pelo esporte, principalmente o automobilismo, que um campeonato tão inovador, como o Jaguar I-PACE eTROPHY deixe de acontecer. Não era apenas automobilismo, é muito mais. Em 2018, todos nós escrevemos um pedaço da história. Claro que queria ter conquistado o título, mas fizemos um trabalho fantástico como equipe, com o Sérgio Jimenez sendo campeão e eu terminando com o vice-campeonato”, diz Cacá Bueno, que é pentacampeão da Stock Car.

“Quando largamos para a primeira corrida do primeiro campeonato mundial de carros de turismo 100% elétrico na Arábia Saudita, em 2018, todos nós escrevemos um pedaço da história. Ser o primeiro brasileiro a ganhar (na China), conseguir vencer em Mônaco, como é especial vencer em Mônaco e isso ficará para sempre. Esta temporada, as coisas estão complicadas, não pude participar das duas primeiras corridas, por conflito de agenda com a Stock Car e tive um quarto lugar no México devido ao furo de um pneu; mas a equipe tem feito um trabalho excelente e confio que vamos trazer os dois títulos do Jaguar I-PACE eTROPHY para o Brasil”, completa Cacá.