Piloto da Prati-Donaduzzi esteve na briga pelo título e faz boa avaliação da temporada 2019.

O sonho do título da Stock Car está adiado para Julio Campos. Mas a julgar pelo desempenho consistente ao longo de toda a temporada 2019 e a combatividade na etapa final, o piloto e a equipe Prati-Donaduzzi podem se orgulhar de terem feito tudo o que estava ao alcance para tentar garantir a conquista.

Já na largada da corrida decisiva, disputada neste domingo, 15, em Interlagos, Julio se posicionou muito bem e chegou a ocupar a terceira posição na segunda perna do S do Senna. “Fui muito bem quando as luzes de largada apagaram, mas aí tive de dar espaço para o [Felipe] Fraga e não consegui me reposicionar na Curva do Sol e na Reta Oposta”, contou Julio.

“Como fiquei no meio do pelotão, bateram dos dois lados do meu carro e ele sofreu alguma avaria, porque ficou muito ‘dianteiro’”, lamentou o piloto da Prati-Donaduzzi, que a partir daí precisou fazer uma corrida extremamente defensiva, dando um show na disputa com Ricardo Maurício e Rubens Barrichello, dois de seus rivais na briga pelo título.

“O Julio fez uma ótima largada, mas ficou ‘ensanduichado’ e as batidas desalinharam o carro, o que comprometeu muito a performance dele ao longo da corrida. Por isso, o melhor que conseguimos foi o nono lugar”, avaliou o chefe de equipe Rodolpho Mattheis. “Não era onde a gente esperava chegar, mas foi o que as circunstâncias permitiram. De qualquer forma, fiquei feliz pela equipe, que fez o pit stop mais rápido da corrida. Em termos gerais, conseguimos desenvolver o carro com um bom nível de competitividade este ano e um sinal disso foi chegar à última etapa na disputa do título”, concluiu Rodolpho.

Ao todo, a Prati-Donaduzzi conseguiu uma vitória e uma pole position (de Julio Campos em Santa Cruz do Sul) e seis pódios em 2019 (quatro de Julio, dois de Valdeno).

Valdeno Brito fez boa prova em Interlagos, apesar da posição de largada desfavorável. “Como ontem não conseguimos encontrar o ajuste que precisávamos, hoje era mesmo uma corrida para se livrar dos acidentes e aproveitar as oportunidades. Fizemos isso ganhando 13 posições e terminando em 13º. Era o máximo que dava pra fazer”, comentou Valdeno.

A etapa de Interlagos teve um aspecto especial para a Prati-Donaduzzi, que foi muito além da disputa pelo título. Esta foi a última corrida da marca como patrocinadora na categoria, já que a empresa está deixando a Stock Car para concentrar investimentos em outras áreas de marketing.