Piloto da Academia Shell Racing termina 2019 com cinco vitórias e 13 pódios também contando o Campeonato Alemão.

O piloto brasileiro Gianluca Petecof encerrou no último fim de semana a sua participação no Italiano de Fórmula 4, em Monza, e ficou com o vice-campeonato. Três semanas antes, o representante da Academia Shell Racing já havia terminado o Alemão em quinto lugar.

Em sua segunda temporada no automobilismo europeu, o piloto da Academia da Ferrari mostrou evolução em seus resultados em ambos os certames na comparação com o desempenho do ano passado.

Em 2018, Gianluca terminou a temporada com uma vitória no Italiano, enquanto este ano o brasileiro ganhou quatro provas, além de ter subido ao pódio em outras quatro – no ano anterior, o piloto tinha alcançado cinco pódios.

Pelo Alemão, Petecof conquistou uma vitória, com a maior vantagem já registrada na categoria – 14 segundos sobre o segundo colocado. Além disso, foram cinco pódios, duas poles e três voltas mais rápidas.

Por fim, no Italiano, Gianluca foi o segundo piloto com mais voltas na liderança (56), enquanto pelo Alemão, o brasileiro foi o quarto a completar mais voltas no primeiro lugar (26), também superando suas marcas no ano passado.

 

O que disse Gianluca Petecof:

“Foram muitos fins de semana nesse meu segundo ano pilotando carros. Foram muitas corridas, com altos e baixos, mas fechamos com o vice-campeonato italiano. Neste segundo ano com a Prema, achamos algumas dificuldades no caminho. Esperávamos muito dessa temporada e conseguimos demonstrar a nossa força em diversos momentos. O importante é fazer um balanço bem detalhado de tudo para seguir em frente, e é isso que vamos fazer para o ano que vem. Esse ano, num balanço geral, começamos a temporada muito bem, sempre na frente. No Italiano foram três vitórias nas primeiras cinco corridas, mas depois tanto eu como a equipe faltamos com a performance, além de alguns erros que custaram alguns pontos. Tivemos também um adversário muito forte e não consegumos trazer o título para casa. Não fossem alguns momentos difíceis e corridas complicadas, poderíamos ter feito mais pontos. No Alemão, o campeonato é mais levado pela consistência, já que não há o descarte dos cinco piores resultados como no Italiano. Houve alguns incidentes dos quais não tivemos controle, e outros que poderíamos ter evitado, e alguns fins de semana com performance longe do ideal, tanto da minha parte como da equipe, e ficamos em quinto. Erros acontecem, um mais ou menos grave pode ter uma consequência melhor ou pior, mas o importante é que nesses meus dois primeiros anos eu tenha cometido os erros que eu precisava para aprender e crescer como piloto e pessoa dentro e fora da pista. Foram dois anos de muito aprendizado, o que basicamente é o objetivo da Fórmula 4, aprender toda a base do automobilismo para seguir na Fórmula 3 e na Fórmula 2. São anos que vão me ajudar em qualquer categoria que eu for correr no futuro.”