Rafael Suzuki, Pedro Cardoso e o argentino Agustín Canapino correm em Santa Cruz do Sul no final de semana.;

A quinta etapa da temporada 2019 da Stock Car encara o frio gaúcho em Santa Cruz do Sul no próximo final de semana. O circuito de 3.531 metros agrada a praticamente todos os pilotos da principal categoria do automobilismo brasileiros, dadas suas características seletivas, com subidas, descidas e mudanças repentinas de direção, o que exige um conjunto bem acertado e muita destreza por parte dos competidores.

Argentino Agustín Canapino retorna à Stock Car em Santa Cruz do Sul
(Foto: Duda Bairros/Vicar)

Para se juntar a Rafael Suzuki e Pedro Cardoso na Hot Car Competições
(Foto: Vanderley Soares)

Suzuki espera bom desempenho em pista seletiva e desafiadora
(Foto: Vanderley Soares)

Cardoso corre pela primeira vez em Santa Cruz na Stock Car
(Foto: Vanderley Soares)

 

O autódromo localizado na bela cidade a 180 quilômetros de Porto Alegre é fonte de boas lembranças dentro da equipe Hot Car Competições: alguns de seus melhores resultados foram conquistados na pista gaúcha. Foram uma vitória em 2014 com Raphael Matos e um terceiro lugar em 2017 com Sérgio Jimenez.

A novidade do time é a chegada do piloto argentino Agustín Canapino, tetracampeão do Super TC2000 e que terá sua segunda experiência na Stock Car após ter disputado a Corrida do Milhão de 2018 em Goiânia, e também sua segunda experiência em Santa Cruz do Sul – onde fez a pole position na Top Race em 2011.

“Agustín é um piloto fantástico, um tetracampeão. E para nós vai ser uma grande oportunidade de mostrar a nossa capacidade de trabalho, apesar do tempo curtíssimo de decisão em fazer este terceiro carro. Estamos trabalhando o máximo possível para deixar tudo 100%. Vai ser interessante também para o Suzuki e o Pedro, para ter um piloto de alto nível para estabelecer comparativos. Esperamos resultados à altura do talento dos nossos pilotos. Estou confiante, reforçamos nosso time de funcionários para que os pilotos sejam bem atendidos, mas estamos preparados para fazer um ótimo trabalho em Santa Cruz do Sul”, destaca Amadeu Rodrigues, chefe da Hot Car.

O longo intervalo de seis semanas possibilitou a todas as equipes bastante tempo de trabalho e revisão de seus carros. Assim sendo, dentro da Hot Car a expectativa é continuar a evolução já demonstrada na etapa anterior em Londrina.

“Esperamos uma performance melhor do que tivemos no primeiro terço do campeonato, que foi bem aquém do esperado. Muita coisa foi feita, a equipe trabalhou bastante. É uma oportunidade de um novo começo. Gosto da pista, bem técnica de abrasiva – nisso, bem similar a Londrina – então vai ser importante entender o comportamento dos pneus e economizar muito. O grande objetivo para a etapa é dar um reset e fazer os dois terços restantes do campeonato rendendo bem mais”, avalia Rafael Suzuki, piloto do carro número 8.

Estreante na temporada, Pedro Cardoso mantém os pés no chão e busca manter o processo de evolução na categoria. “Tivemos uma pausa muito grande; todo mundo teve bastante tempo para trabalhar e para se preparar. Todos vão chegar muito preparados. Aproveitei para intensificar meu treinamento físico e de simulador, enquanto o time desmontou meu carro, revisou tudo e montou do zero. Espero que nossos resultados passem a melhorar aqui. Santa Cruz é uma pista muito desafiadora, técnica e divertida de guiar – o que é uma unanimidade entre os pilotos”, diz o brasiliense de 20 anos.

“É uma etapa desafiadora por vários motivos. O traçado é muito seletivo; temos um desgaste bem alto de pneus, então o carro tem de estar muito equilibrado e a estratégia vai fazer muita diferença. Quem estiver com pneus melhores na parte final da corrida vai se dar bem. Já ganhamos corrida lá, com o Rapha Matos, fizemos um terceiro lugar com o Sérgio Jimenez também… Agora que estamos com o carro bem acertado, acho que o Rafael e o Pedro, junto do Canapino, podem fazer um bom trabalho”, conclui Amadeu.