Quatro Horas de Paul Ricard marca estreia em nova categoria.

O animador início de vida na European Le Mans Series, marcado pelo segundo lugar nos treinos livres da véspera, não se confirmou na sessão classificatória deste sábado e Bruno Senna partirá da 11ª posição nas 4 Horas de Paul Ricard. Com problemas mecânicos no protótipo LMP2 ds RLR MSport na sessão de apenas 10 minutos, o brasileiro sabe que terá uma missão difícil amanhã na abertura do calendário de oito etapas.

Campeão mundial da divisão em 2017, Bruno foi o encarregado de marcar tempo no qualifying. No entanto, o trabalho foi prejudicado pelo mau desempenho do carro. “Havia algo errado nos amortecedores traseiros e acabamos ficando bem fora do ritmo esperado”, explicou, desapontado com a volta em 1min41s489 – cerca de 1,4 segundo mais lento que a pole do russo Roman Rusinov, da G-Drive.

Embora abrindo a sexta fila, Bruno mantém uma expectativa razoavelmente otimista para a corrida de estreia, que tem largada prevista para as 7h30 (Brasília). Com 18 competidores, a LMP2 é a principal e mais numerosa do grid de 41 carros, completado pela LMP3 e LMGTE. O indiano Arjun Maini e o canadense John Farano são os demais tripulantes do carro 43 da RLR MSport. “Estarei no primeiro turno e nosso consumo de pneus está OK. Com uma boa estratégia, um pouco de sorte e sem fazer besteiras, dá para ir bem. Um quinto lugar já será um ótimo resultado”, finalizou Bruno.