Na Bélgica, Gaetano di Mauro é o quarto melhor piloto de kart shifter do planeta.

Brasileiro briga pelo pódio até o finalzinho e mantém sequência de bons resultados da Academia Shell Racing em Campeonatos Mundiais

Gaetano di Mauro é o quarto melhor piloto do mundo nos karts com marchas. O brasileiro completou sua participação no Campeonato Mundial de Kart de Genk (Bélgica) na quarta colocação na bateria final na categoria KZ2, na manhã deste domingo. O piloto da Academia Shell Racing se colocou entre os 34 classificados para a final após ficar em sexto nas eliminatórias disputadas por 105 competidores.
Para a bateria decisiva, Di Mauro utilizou a estratégia de guardar um jogo de pneus totalmente novos, e isso rendeu dividendos no começo da prova. Ainda na primeira volta, o brasileiro passou o holandês Max Tubben para ficar em quarto. Em seguida, Gaetano superou o sueco Emil Skaras e pulou para terceiro.
Da terceira volta em diante, o brasileiro da Academia Shell Racing travou um acirrado duelo com o francês Adrien Renaudin, atual campeão europeu. Por quase 20 voltas, Gaetano tentou a ultrapassagem, até finalmente conseguir na 22a e penúltima passagem. No entanto, a disputa foi tão dura, que ambos foram superados pelo espanhol David Vidales.
Apesar de ter perdido velocidade na disputa, Gaetano ainda conseguiu neutralizar as investidas de outros concorrentes e segurar a posição até a bandeirada final. O brasileiro terminou o Mundial de Kart como o melhor representante da equipe CRG e também o mais bem colocado entre os pilotos do continente americano.
O quarto lugar de Gaetano di Mauro na Bélgica é mais um expressivo resultado alcançado por pilotos da Academia Shell Racing em Mundiais. Nos últimos dois anos, Gianluca Petecof terminou os campeonatos realizados no Bahrein e na Inglaterra em quinto e sexto lugares, respectivamente.
Mal acabou o Mundial de Kart, Gaetano di Mauro já volta para o Brasil, onde corre no próximo fim de semana, com a disputa da penúltima etapa da categoria Sprint da Porsche GT3 Cup Challenge 3.8, no Velo Città, em Mogi-Guaçu (SP). Di Mauro é o vice-líder na classificação geral.

O que disse Gaetano di Mauro:

“Estou muito feliz com o resultado e o desempenho ao longo do fim de semana todo. Correndo contra especialistas que se dedicam o ano todo ao kartismo, e consegui fazer um bom papel. O quarto lugar entre 105 pilotos é sensacional. Não pude treinar antes, e cheguei direto para o Mundial. Não conhecia direito os pneus e tive de me adaptar ao longo do campeonato. Agradeço à Shell por proporcionar essa oportunidade, o que me deixa mais motivado para o restante do ano no Brasil. Na final, eu percebi que não tinha muita arrancada para conseguir um ataque definitivo sobre o Renaudin, e a tática foi forçar nas curvas em que eu sabia que era mais rápido, para ele destruir os pneus. Isso realmente aconteceu, até que faltando duas voltas tentei a ultrapassagem. Ele ficou por fora e acabamos indo para a grama. Nisso, o espanhol nos ultrapassou. O pódio esteve perto, mas não tenho do que reclamar, considerando tudo o que aconteceu, foi um fim de semana memorável”

Resultado final da categoria KZ2:

1º M.Vignano (ITA) – 23 voltas
2º D.Bray (AUS) – a 1s454
3º D.Vidales (ESP) – a 4s573
4º G.di Mauro (BRA) – a 6s014
5º R.Longhi (ITA) – a 6s118