Foto: Rodrigo Guimarães

Foto: Rodrigo Guimarães

A equipe Prati-Donaduzzi aproveitou a pausa no campeonato para uma completa revisão dos equipamentos; já os pilotos, venceram no Brasil e no exterior em diferentes categorias.

Foram dois meses e meio de intervalo entre a etapa mais recente da Stock Car e a tão aguardada Corrida do Milhão, a prova mais importante do ano, marcada para domingo, 5, no autódromo de Goiânia, GO. Essa pausa estratégica no período de Copa do Mundo pode ter sido sofrida para os fãs, mas se encaixou perfeitamente no planejamento das equipes.

“A gente aproveita pra colocar em prática todas as ideias de desenvolvimento que temos ao longo do ano, mas que não podem ser aplicadas de imediato em função dos intervalos curtos entre as corridas, que às vezes são de no máximo quinze dias, incluindo nossos deslocamentos”, conta Rodolpho Mattheis, chefe da equipe Prati-Donaduzzi.

“Os itens mais resistentes e de baixa prioridade vão tendo suas trocas postergadas nas ordens de serviço, para priorizar o que necessita de atenção imediata. E um intervalo como este, de dois meses e meio, permite que a gente desmonte o carro inteiro, que fica só na ‘gaiola’, e faça uma revisão muito mais profunda”, acrescenta.

Nada melhor do que poder conduzir este trabalho justamente antes da prova mais famosa do calendário, que vale um prêmio de R$ 1 milhão para o vencedor.

Como os testes são proibidos na Stock Car, resta aos pilotos manter a preparação física, técnica e mental em dia, e pra isso eles acabam inclusive experimentando outras categorias. Julio Campos, por exemplo, disputou recentemente uma etapa do Endurance Brasil em Tarumã, RS, e garantiu a vitória ao volante de um protótipo AJR (de motor semelhante ao da Stock).

“É bom por vários motivos. Primeiro, porque vencer traz sempre um astral diferente, né? Depois, porque ajuda a voltar com o ritmo de corrida totalmente em dia. Especialmente porque foi uma prova de longa duração, de três horas, e bastante disputada”, conta Julio. “E agora é focar na Corrida do Milhão”.

“Fizemos um primeiro semestre bastante consistente, mas vamos precisar de mais pódios e de brigar sempre pela vitória para poder pensar no campeonato. Temos nossas chances e a Corrida do Milhão é mais um passo nesse sentido. Claro que um prêmio desses mexe com qualquer pessoa, mas a gente vai em busca dele sem tirar os olhos do campeonato”, conclui.

Julio Campos é o quinto colocado na tabela, com 89 pontos. Está atrás apenas de quatro campeões da categoria: Daniel Serra (152 pontos); Marcos Gomes (109); Felipe Fraga (92); e Max Wilson (90).

Antonio Pizzonia também viveu um intervalo bastante intenso: disputou (e ganhou!) o US Open Rotax Grand Nationals 2018, torneio de kart realizado em Nova Jersey, nos Estados Unidos. “Fui pra me divertir e me manter em dia e acabou sendo muito legal. Tive uma disputa muito boa com os pilotos locais e ainda garanti o título”, comemorou Pizzonia.

“Foi bom pra voltar renovado para o segundo semestre! A equipe trabalhou pesado nesses dois meses e meio pra entregar o melhor equipamento pra gente e a nossa parte agora é oferecer o máximo dentro da pista. Todo mundo sabe que a Corrida do Milhão é quase tão importante quanto um título e vamos buscar esse prêmio”, comenta Pizzonia.