foto: Divulgação

A premiação foi quarta-feira à noite no Graciosa Country Clube, prestigiada por quase uma centena de empresários e desportistas.

O ex-piloto Milton Sperafico foi homenageado quarta-feira à noite no Graciosa Country Clube, em Curitiba, com o Troféu Moura Brito. Esta foi a 12ª edição da premiação, que tem a finalidade de valorizar e resgatar a história de personalidades que contribuíram para o crescimento do automobilismo paranaense, nas categorias Piloto, Preparador e Incentivador. Alem de Milton Sperafico, de Toledo, este ano também foram premiados Miguel Beux, de Cascavel, como Incentivador; e Danilo Afornali, de Morretes, como Preparador.

O Troféu Moura Brito tem promoção e organização do desportista Celso Pavia e do jornalista Alexandrino Bispo Neto. Os homenageados só são conhecidos durante a solenidade de premiação. É surpresa até mesmo para os laureados. Todos os anos são convidados inúmeras pessoas para uma “festa de gala”, com a cobrança que cada um doe cinco quilos de alimentos a serem doados ao Instituto Vó Durvina. O mestre de cerimônia começa a ler o currículo de alguém que está presente e a platéia vai tentando adivinhar quem é o homenageado. Sperafico foi fácil. Bastou o locutor anunciar que ele pertencia a uma família de 10 pilotos.

Ao agradecer a premiação, Milton Sperafico disse sentir-se honrado com a láurea, por estar diante de ilustres pessoas que muito fizeram pelo automobilismo, destacando o apoio que sempre recebeu da esposa e dos filhos.

Currículo de Milton Sperafico

– Milton Sperafico começou sua carreira como piloto de Motovelocidade, em 1975, nos autódromos de Cascavel e Curitiba.

– Participou de provas da Motovelocidade até 1979, conquistando o título de campeão Regional nas categorias 50 e 125cc.

– De 1980 a 1982, correu de kart, participando de provas nos campeonatos Paranaense e Paulista.

– Em 1982 participou do motocross, correndo provas no Paraná e no Mato Grosso do Sul.

– Em 1982, iniciou no automobilismo, participando do Campeonato Paranaense de Velocidade, na Divisão 3, ficando em 3º lugar no campeonato.

– Em 1983, sagrou-se Campeão Paranaense da Divisão 3.

– Em 1984, foi campeão Paranaense da Hot Car, categoria que substituiu a Divisão 3 no estado.

– Em 1985, começou a correr no Brasileiro de Fórmula Ford, onde ganhou uma prova no Rio de Janeiro, na 5ª etapa, em Jacarepaguá, recebendo o troféu das mãos do saudoso Ayrton Senna.

 

– De 1986 a 1989, disputou das provas do Campeonato Brasileiro de Fórmula Ford.

– Em 1990 e 1991, disputou os Campeonatos Paranaense e Gaúcho de Fórmula Ford.

– Em 1992, passou a competir nos Campeonato Brasileiro e Sul-Americano de Fórmula 3.

– Em 1993, sagrou-se campeão dos Campeonatos Brasileiro e Sul-Americano de Fórmula 3 “B”.

– Como dirigente do Esporte a Motor, Milton Sperafico atuou como presidente do Automóvel Clube de Toledo. Foi vice-presidente da Federação Paranaense de Automobilismo; e vice-presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo, mandato encerrado no início deste ano.

– Nesse período, como piloto e dirigente, acompanhou o desenvolvimento das carreiras de todos os seus sobrinhos, em provas no Brasil, Europa e Estados Unidos.

– Acompanhou todo o desenvolvimento da carreira de piloto do seu filho Guilherme desde o Kart, passando por Stock Car Light e Brasileiro de Turismo.

– O legado da Família Sperafico no Automobilismo Mundial começou em 1973, com o irmão mais velho Dilso Sperafico, que fez sucesso em provas da Divisão 3, no Paraná e pelo Brasil afora.

– De 1973 para até os dias de hoje, a Família Sperafico revelou 10 pilotos para o Automobilismo Brasileiro e Mundial, participando ativamente, nas mais diversas categorias e nos principais autódromos do Mundo.

– Este ano, a Família Sperafico completa 44 anos ininterruptos de participação em provas de automobilismo, o que por si só já justifica esta homenagem do Troféu Moura Brito a Milton Sperafico e alusivos a todos o pilotos do “Clã Sperafico”.