Raijan Mascarello (Foto: Fabio Davini)

Raijan Mascarello (Foto: Fabio Davini)

Raijan encerra período de recuperação física e foca o Velocittá.

Para quem ama pilotar, chegar ao final de uma prova é motivo de alegria. Para quem retorna de um acidente e supera dores, as celebrações são ainda maiores. Assim, o piloto Raijan Mascarello tem motivos para comemorar a sua participação na terceira etapa do Mercedes-Benz Challenge disputada em Curitiba, no último domingo.

Durante a prova, Raijan fez várias ultrapassagens. Chegou a aparecer em primeiro na tela da cronometragem por três voltas, durante o período destinado aos abastecimentos e trocas de pilotos, mas acabou em oitavo lugar, somando mais 8 pontos na tabela de classificação do campeonato.

“Por um lado foi muito bom poder voltar e concluir a prova, mesmo ainda sentindo algumas dores na clavícula e na costela. Foram muitos dias de expectativa, e por esse ângulo, dá pra dizer que deu tudo certo”, contou Raijan.

Porém, o piloto da Chapecoense PGG Racing gostaria de ter chegado mais à frente. Curiosamente, na fria tarde curitibana, foi a alta temperatura que impediu que ele disputasse mais posições.

“Estava muito bem na primeira parte da prova. Depois da parada de abastecimento, o carro começou a apresentar aquecimento e precisei tirar o pé. Não dava para tentar encostar em quem estava mais à frente, mas ainda consegui levar até o final da corrida”, disse o piloto que tem em seu carro as parcerias da Chapecoense, PGG Chem, Hamakk, Pontual Cáceres e Fazenda Comil.

A próxima etapa do Mercedes-Benz Challenge está marcada para o dia 6 de agosto no Autódromo VeloCittá, no interior paulista.