Em sétimo, Hélio Castroneves é o melhor brasileiro classificado para a corrida; Will Power larga pela quarta vez na pole

O treino classificatório deste sábado da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, no Circuito Anhembi, não foi como os brasileiros imaginavam. Dos cinco pilotos inscritos para a corrida, apenas Hélio Castroneves conseguiu entrar no grupo que avançou para a segunda fase da classificação. Vitor Meira foi o décimo quarto, Tony Kanaan larga em 21º primeiro, Raphael Matos é o 22º colocado, e Bia Figueiredo parte da 25ª posição. A largada da segunda edição da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé está prevista para as 13 horas.

“Estamos brigando com os primeiros colocados e isso significa que temos um bom carro para a corrida. Por muito pouco não entramos no grupo que lutou pela pole, mas o importante é que estamos no caminho certo”, disse Helinho. O piloto admitiu que utilizou o acerto de Will Power, seu companheiro de equipe, para avançar ainda mais na classificação. “Quando vi o excelente tempo do Will, não tive dúvidas e coloquei o acerto dele no meu carro. Porém, não adiantou muito, já que não consegui pegar o vácuo na reta da Marginal e fiquei de fora da briga pela pole. O importante é que a pista oferece bons pontos de ultrapassagens e amanhã tudo pode acontecer”, afirmou.

Vitor Meira foi o segundo melhor brasileiro classificado, mas saiu um pouco desapontado com seu desempenho. “Estamos sempre perto do grupo dos 12 melhores, que leva para a segunda fase da classificação, mas ainda falta alguma coisa para se classificar entre os melhores. Hoje, no entanto, sentimos uma melhora nos resultados entre um treino e outro e o mais importante é que o caro está consistente”, explicou o brasiliense. Porém, para a prova de amanhã, Meira leva como referência a etapa do ano passado, quando largou da 17ª posição e terminou em terceiro. “A pista do Anhembi é excelente, com pelo menos três lugares para ultrapassar, e se chover vai mudar tudo. O circuito proporciona uma boa corrida e todos os pilotos têm chances de chegar entre os primeiros”, concluiu.

Melhor piloto brasileiro na atual temporada, Tony Kanaan se classificou em 15º lugar, mas em função da troca do bico durante a classificação, perdeu a melhor volta registrada. “Tivemos um problema no bico do carro e isso nos fez perder a melhor volta. As características da pista podem nos ajudar a recuperar na corrida”, disse o baiano.

O mineiro Raphael Matos teve problemas de velocidade nas retas durante o treino, mas disse que tem um equipamento muito bem acertado para a corrida. “Nunca tive um carro tão rápido em curvas como hoje, mas tive problemas de velocidade nas retas. Meu carro está cerca de oito quilômetros mais lento, o que dificulta, e muito, qualquer possibilidade de um bom resultado. A Honda está avaliando o problema e o que posso dizer é que meu treino pode ser considerado como frustrante”, disse.

Após estrear na Fórmula Indy justamente na etapa de São Paulo, em 2010, Bia Figueiredo não teve motivos para comemorar. Larga da 25ª posição e traçou como objetivo, pelo menos, terminar a corrida. “Em relação aos primeiros treinos, acho que melhoramos um pouco, mas não tanto quanto imaginávamos. Vamos tentar corrigir os problemas no warm up de amanhã e tentar ganhar posições ainda na largada”, afirmou Bia. A piloto, que quebrou o pulso na primeira etapa da temporada, em St. Petersburg, comentou ainda sobre a recuperação. “Estou bem para guiar, mas não 100% para disputar uma corrida inteira. Sinto um pouco de dores quando passo sobre as ondulações, mas vou seguir o conselho do Tony e descansar a mão nas retas”.