Bia Figueiredo recebe Mano Menezes, técnico da Seleção, nos boxes

Barrichello: "Deve ser especial para os brasileiros correrem na Marginal Tietê"

Rubens Barrichello reencontra velhos amigos e Mano Menezes, técnico da Seleção Brasileira, dá volta no Circuito Anhembi em carro de dois lugares

O paddock da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé recebeu dois nobres visitantes neste sábado (30/04). Rubens Barrichello, piloto da equipe Williams, e o técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes, estiveram nos bastidores da etapa brasileira da IZOD IndyCar Series.

O brasileiro da equipe inglesa aproveitou o evento para reencontrar amigos e acompanhar de perto as máquinas da categoria, já Mano teve a oportunidade de andar na carona do carro de dois lugares da pelos 4.080 metros do Circuito Anhembi.

Barrichello esteve acompanhado dos dois filhos, Eduardo e Fernando, que é afilhado do Tony Kanaan, e disse que gostou muito do que viu no evento. “Eu respiro automobilismo, adoro ver uma corrida em qualquer lugar. É a primeira vez que estou aqui (na Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé), porque ano passado tive corrida no mesmo dia, na Austrália, então, não consegui ver quase nada. Estou gostando muito do que estou vendo. Meu filho mais novo, Fernando, é afilhado do Tony, e me pediu muito para vir. Ele é o que está mais empolgado”, contou.

O piloto também aproveitou para revelar a vontade de os pilotos da Fórmula Indy passarem a mais de 300km/h pela Marginal Tietê. “Deve ser muito especial para os pilotos brasileiros correrem na Marginal Tietê, que é um lugar onde todos nós estamos acostumados a passar. Aliás, o trânsito que está na Marginal, não é por causa das interdições, mas sim porque todos também querem ver um pouquinho do que está acontecendo. É melhor não ter nenhum carro dando bobeira por aí, senão eu coloco o capacete e vou para a pista”, brincou Barrichello.

Diferente do piloto, o técnico da Seleção Brasileira teve a oportunidade de percorrer os 1.500 metros da Reta dos Bandeirantes, na Marginal Tietê, a quase 300km/h em um carro de dois lugares pilotado pelo experiente norte-americano Al Unser Jr. Mano, que foi recebido pela piloto Bia Figueiredo, da Ipiranga Dreyer & Reinbold Racing, disse que gostou muito da experiência, mas que só daria uma volta por vez.

“A velocidade do carro é impressionante. Na Marginal parecia que ia decolar. É uma experiência fantástica, mas uma volta por vez está de bom tamanho. Não daria 75 voltas seguidas que nem eles. O carro passa muito perto do muro. Esses caras são malucos. Eu costumo andar sempre nos limites de velocidade. A velocidade máxima que eu já tinha andado tinha sido a 140 km/h”, revelou Mano Menezes.