Campeão de dança, Helio Castroneves juntou-se à rainha da bateria na quadra

Helio Castroneves, Raphael Matos, o venezuelano Ernesto Viso e o espanhol Oriol Servia sambaram ao som da Camisa Verde e Branco

Na Passarela do Samba, eles não terão tempo para ver o público vibrando a cada passagem. Estarão disputando posições, a quase 300 km/h no Circuito Anhembi, onde acontece neste domingo (1º) a segunda edição da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, quarta etapa da temporada 2011 da IZOD IndyCar Series. E enquanto eles não entram na pista com os carros da Fórmula Indy, os pilotos Helio Castroneves (Penske), Raphael Matos (AFS), o venezuelano Ernesto Viso (KV) e o espanhol Oriol Servia (Newman Haas) foram ver de perto a bateria da escola de samba Camisa Verde e Branco na tarde desta quarta-feira (27) em São Paulo.

Primeiro, os competidores assistiram a uma exibição da bateria, que ainda teve a rainha de bateria e a porta-bandeira. Logo depois, eles já pegaram os bumbos e os batuques e se juntaram à bateria. Raphael Matos era um dos mais empolgados. “Nunca havia visitado uma quadra de escola de samba. Isso aqui é fantástico”, admirou-se. “Temos que bater palmas para esse pessoal da bateria, porque o bumbo é bem pesado e só de ficar ali um pouco meus ombros já pesaram. Assim como para pilotar um carro da Fórmula Indy, tem que ter preparo para encarar a avenida”, comparou.

Campeão do reality show norte-americano de dança “Dancing with the Stars”, Helinho Castroneves foi primeiro sambar com a rainha de bateria. “Fiquei bastante contente pelo convite, e adorei a experiência. Você sente o clima, a empolgação das pessoas. Eles vivem disso e respiram o samba”, destacou o piloto da Penske. “Foi muito bom ter feito essa visita aqui na quadra, porque esse fim de semana no sambódromo nós vamos ter que acelerar”, brincou.

De início, o venezuelano Ernesto Viso e o espanhol Oriol Servia demonstraram não ter muita intimidade com o batuque de uma bateria de samba. Mas logo pegaram o jeito. “Falta um pouco de ritmo, mas se eu ficar o dia inteiro aqui eu acho que posso me juntar a eles (a bateria da escola) no ano que vem”, divertiu-se Viso.

“Eu só conhecia o carnaval pela televisão. Foi muito legal desde o início, o ritmo das batidas intenso, a paixão com que eles fazem isso. Foi maravilhoso, e e eu gostei muito”, afirmou Oriol Servia.

De quebra, Helinho e Raphael foram convidados pela Camisa Verde e Branco, que em 2012 estará no Grupo Especial do Carnaval Paulistano, para desfilar pela escola. “Fiquei super contente de ter sido convidado. Vou fazer de tudo para estar lá com eles. Se não houver nenhum conflito de datas, a Camisa Verde e Branco pode contar comigo”, afirmou o piloto da Penske.

Matos, que demonstrou mais intimidade com a bateria do que sambando, também já confirmou presença. “Vou, claro, mas desfilando, mais relaxado. Não quero desafinar a bateria”, brincou.