Pneu primário (com composto duro) da Firestone é identificado pela lateral preta

Lateral vermelha identifica o Firestone Firehawk alternativo, com composto macio

Em São Paulo, equipes terão à disposição os mesmos tipos de compostos utilizados este ano em St. Petersburg e Long Beach

São Paulo, 27 de abril de 2011 – A Firestone é a fornecedora exclusiva de pneus para a IZOD IndyCar Series, que realiza a quarta etapa do calendário de 2011 no próximo domingo (1º/5), com a disputa da Itaipava SP Indy300 Nestlé, no circuito de rua montado no Anhembi, em São Paulo. A corrida terá um percurso de 75 voltas pelo traçado de 4.184 metros, totalizando 313.82 quilômetros.

Para esta prova, a Firestone trará ao Brasil um total de 1520 pneus, sendo 748 para pista seca, chamados de slick, da versão primária (composto duro), 336 da versão alternativa (slick, composto macio) e 436 para chuva, com sulcos na banda de rodagem. Para cada carro, serão entregues seis jogos do primário, três do alternativo e cinco de chuva. Os pneus Firestone Firehawk são produzidos na fábrica de Akron, no estado de Ohio, nos Estados Unidos.

O sistema de pneus alternativos da Firestone, adotado pela categoria desde 2009, inclui uma segunda especificação de pneus para o fim de semana de corrida em circuitos mistos ou de rua, o qual tem o mesmo tipo de construção da versão primária, mas com um composto mais macio na banda de rodagem, o que proporciona mais aderência e tempos de volta mais rápidos, porém menor durabilidade. Os pneus alternativos da Firestone são facilmente identificados pela faixa vermelha em suas laterais.

As especificações dos pneus Firehawk para o Brasil serão familiares para as equipes. O pneu primário, com lateral preta, tem características idênticas ao que foi usado nas duas primeiras corridas em circuitos de rua desta temporada, em St. Petersburg e Long Beach. O pneu alternativo, com lateral vermelha, tem a mesma especificação usada em St. Petersburg.

De acordo com o regulamento da categoria, todos os carros têm de usar pelo menos um jogo dos pneus primários e outro dos alternativos durante a corrida, em um mínimo de duas voltas em bandeira verde. Fora isso, os times são livres para usarem seus lotes de pneus como preferirem, apesar da nova regra para 2011 limitar para um jogo (as equipes escolhem se primário ou alternativo) para cada fase do treino de classificação.

Segundo Al Speyer, Diretor Executivo da Firestone Racing, “A Fórmula Indy foi recebida com entusiasmo em São Paulo um ano atrás, então estamos entusiasmados para retornar. A pista foi bem desenhada, com grandes áreas de visibilidade e pontos de ultrapassagem. Os fãs são calorosos e nós estamos certos de que é muito estimulante para os pilotos brasileiros correrem em sua casa. Porém, vimos no ano passado, no Brasil, a mãe natureza apresentar algumas surpresas e as condições do tempo mudarem rapidamente. De qualquer forma, também tivemos muita confiabilidade nos Firehawk de chuva. Foi um fim de semana eletrizante de corrida em São Paulo e esperamos que seja ainda mais este ano.”

Suporte Firestone Firehawk para a Itaipava SP Indy300 Nestlé:

Pneu primário (slick, lateral preta): 748, seis jogos por carro
Pneu alternativo (slick, lateral vermelha): 336, três jogos por carro
Pneu de chuva (com sulcos, lateral preta): 436, cinco jogos por carro

Sobre a Bridgestone - Com sede em Tóquio (Japão), a Bridgestone é a maior fabricante mundial de pneus e detentora das marcas Bridgestone e Firestone, com faturamento de US$ 33,8 bilhões em 2010. Emprega mais de 139 mil funcionários no mundo e mantém operações em 22 países. No Brasil, produz pneus para todos os segmentos em suas fábricas de Santo André (SP) e de Camaçari (BA), que juntas atingem capacidade de produção de 42 mil pneus/dia.