Um final de semana ensolarado recebeu a 3ª edição do Super Kart Brasil, que teve suas disputas no Kartódromo Ayrton Senna, em Interlagos, zona sul de São Paulo. A competição, já considerada uma das mais importantes do país e única com premiação expressiva e apoio de várias fábricas atuantes no segmento, teve também a presença do paulista Gregory Diegues (Bad Boy |Chilli Beans | Hinkel | Banco Rendimento), que competiu na categoria Super Cadete.

Os treinos oficiais tiveram início na quarta-feira, mas Gregory, em razão de compromissos escolares, só pôde treinar no dia seguinte. Foram três treinos de 30 minutos de duração na pista que, desta vez, teve seu traçado invertido, ótima ideia dos organizadores, que assim proporcionaram mais emoção e aprendizado para os pilotos das categorias de base.

Gregory não conseguiu fazer bons treinos e o primeiro deles foi apenas para se ambientar ao traçado inverso de Interlagos. No segundo e no terceiro, dois erros da equipe atrapalharam o desempenho do jovem piloto. “Os treinos foram um pouco confusos, com alguns erros, mas mesmo assim vamos para corrida com muita garra para obter um bom resultado”, comentava o piloto de apenas 11 anos.

Na sexta pela manhã Gregory chegou bastante entusiasmado por fazer grandes corridas e ganhar os prêmios oferecidos pela organização. Mas a tomada de tempos não lhe reservou grandes alegrias e ele ficou com a 7ª colocação. A desclassificação de dois pilotos, entretanto, fez com que ele partisse da 5ª posição. Na 1ª prova, uma escorregada na Curva da Esplanada fez com que Gregory rodasse e caísse para a última posição. Sabedor de que a corrida era curta, de apenas 10 voltas, o piloto optou por desistir e poupar pneus para a próxima corrida.

De forma inédita na competição, na hora da fiscalização e conferência dos karts ao final da prova, todos foram literalmente desclassificados por irregularidade técnica, o que causou certo alvoroço entre os preparadores, pilotos e equipes. O motivo foram dúvidas sobre divergências de informação entre o regulamento do SKB no site e o impresso pela secretaria do Interlagos Motor Clube. Mas, resolvidos os problemas, todos foram se preparar para a 2ª bateria.

Nesta prova, largando da 9ª posição, Gregory Diegues (Bad Boy |Chilli Beans | Hinkel | Banco Rendimento) fez uma largada espetacular e logo na primeira curva já aparecia em 2º lugar, posição que manteve até o final com voltas constantes e rápidas. “Fiz uma ótima largada, andei bem e consegui tirar o melhor rendimento do meu kart e do meu motor. Foi muito bom”, vibrava Gregory. Porém, devido à montagem de um eixo já não permitido pelo regulamento atual, Gregory foi desclassificado e perdeu os 20 pontos que tinha conquistado com o 2º lugar. “O Gregory ficou muito chateado com esta falha da equipe e não queria correr mais as próximas corridas. Mas conversamos com ele, explicando que ele estava bem na competição e que iria superar este problema nas provas seguintes”, lembra Maurício Diegues, pai do piloto.

O sábado, dia das finais, teve nova tomada de tempos e, outra vez com problemas de rendimento de seu motor, Gregory obteve apenas a 9ª posição no grid de largada, a quase 1 segundo do pole. Porém, sempre muito determinado, Gregory Diegues (Bad Boy |Chilli Beans | Hinkel | Banco Rendimento) fez novamente excelente largada e, com belas ultrapassagens e voltas rápidas, terminou em 2º lugar.  “O Gregory fez novamente uma ótima corrida e, mesmo com todos os problemas que enfrentamos, ele foi muito determinado e conseguiu mais um ótimo 2º lugar”, avaliam Evandro Camargo, seu preparador e chefe da equipe Camargo Racing, e João Cunha, seu “coach”.

Confiante em nova boa atuação, Gregory foi para a última corrida largando da 7ª posição. Outra boa largada e mais algumas belas ultrapassagens colocaram-no na 3ª posição, “colado” nos dois primeiros colocados. Entretanto, uma escapada fez com que Gregory Diegues perdesse contato com os líderes e, com os pneus já desgastados, foi perdendo rendimento. Nas três últimas voltas da prova ele acabou superado por dois adversários e terminou em 5º. A soma dos pontos de apenas duas corridas entre as quatro válidas ainda garantiu-lhe uma boa posição entre os cinco melhores pilotos da categoria, finalizando a competição em 5º lugar no geral.

“O Gregory mostrou muita raça, conseguiu suportar bem as dificuldades que sofreu durante esta edição do SKB. Já conversamos com nossa equipe sobre as falhas que atrapalharam os objetivos do Gregory e que a perda dos 20 pontos da 2ª bateria o tirou da 2ª posição no geral e o fez perder seus prêmios. Mas mesmo assim temos total confiança no trabalho da Camargo Racing, com quem estamos juntos desde 2008, quando o Gregory estreou no circuito oficial e conseguiu seu primeiro título de vice campeão paulista. Foi também com a Camargo Racing que obtivemos os títulos de Campeão Brasileiro e da Granja Viana. Portanto, repito, temos total confiança na equipe e vamos trabalhar para que isso não volte acontecer. Estamos às vésperas da Copa Codasur e do Campeonato Brasileiro e não temos mais tempo para erros. Vamos em busca dos lugares mais altos do pódios”, afirma Mauricio Diegues, pai de Gregory. “E mais uma vez agradecemos pelo apoio de nossos patrocinadores Bad Boy, Chilli Beans, Hinkel e Banco Rendimento. O Gregory tem recebido sempre total apoio e torcida, o que nos ajuda muito a superar as dificuldades e lutar sempre pelas vitórias”,completa.

A AMF Kart Parts é parabenizada por Gregory e Maurício Diegues. “A AMF, através de seu Diretor William Monteiro, deve ser parabenizada por ter ‘abraçado’  a Super Cadete, sendo o patrocinador oficial da categoria na competição. É um incentivo muito grande para os jovens pilotos”, encerram.