Piloto que liderou o maior número de voltas na abertura da Copa das Federações ainda se recupera do abandono motivado por quebra do câmbio

Rio de Janeiro, 27 de abril de 2011 – O retorno ao Rio de Janeiro e aos treinos de artes marciais ainda não anularam em Lucas Molo o sabor amargo do abandono nas “3 Horas de Guaporé”, competição disputada no último sábado no Rio Grande do Sul. Molo foi o maior líder da etapa de abertura da Copa das Federações e a reinauguração do Autódromo Dr. Nelson Luis Barro, mas quando seu companheiro de equipe Anderson Faria ocupava o segundo lugar o câmbio da Ferrari F360 da equipe Tekprom quebrou na volta de número 90 e forçou a dupla abandonar a prova. Restou a ele o consolo de ter mostrado o caminho a seus adversários durante 48 voltas, 14 a mais que Chico Longo e Daniel Serra, os vencedores da prova com um Ferrari F430, e bem mais que as 12 de Luciano Mottin e 11 de Tiel de Andrade, que também comandaram o show. Passados quatro dias da competição, o carioca ainda demonstra a tristeza pelo resultado adverso:

“Olha, esse abandono em Guaporé desceu quadrado. No meu turno de hora e meia eu já tinha notado que o câmbio tinha problemas nas reduções de marcha e avisei o Anderson para frear um pouco antes nas curvas. A gente tinha esperanças de obter um grande resultado e por isso escutar o Perna (locutor do autódromo de Guaporé) anunciar que meu carro estava parando no acostamento foi uma tremenda ducha de água fria.”

O carioca que consolidou seu nome no automobilismo brasileiro ao vencer as temporadas de Endurance em 2004/5 atualmente divide seu tempo com o bar temático SporTV Point e treinamento de lutas marciais, hobby que ele descobriu ter dupla serventia:

“Graças a esse treinamento consegui pilotar uma hora e meia num ritmo forte e saí do carro inteiro…quatro dias depois voltei a treinar com um pouco mais de ânimo para descarregar a bronca de Guaporé …”, completou o carioca em tom hilário.

O caminhão que transporta dos carros da equipe Tekprom deve chegar à oficina do time nesta tarde, quando então a Ferrari 33 terá a caixa de câmbio desmontada e analisada. Após uma análise detalhada o chefe de equipe Murilo Pilotto decidirá qual a melhor solução para a próxima corrida: a reconstrução do equipamento que afastou Molo e Andrade da abertura da Copa das Federações ou a substituição por um conjunto novo.