Maluhy (33) e Duda andaram juntos e trocaram posições durante a prova

Maluhy recuperou 13 posiçoes e Duda mostra consistência

Ribeirão Preto, 17 de abril de 2011 – Os frios números do resultado da terceira etapa do Campeonato Brasileiro de Stock Car contrastam tanto com o calor local – que chegou a 35º C durante a corrida -, quanto com o forte ritmo de Felipe Maluhy e Duda Maluhy. Os dois pilotos da equipe Officer ProGP terminaram respectivamente em 11º e 14º na competição que durou 45m29s193 e foi vencida por Átila Abreu, mas ambos mostraram que os carros do time estão apresentando um desempenho cada vez melhor. Com o resultado de hoje Pamplona se mantém no grupo de dez pilotos que disputará o título da temporada nas quatro últimas etapas do ano. O certame prossegue dia 15 de maio, com a disputa da quartaa etapa do ano no circuito Velopark, na cidade gaúcha de Nova Santa Rita, próxima a Porto Alegre.

O calor de Ribeirão Preto despertou a criatividade dos pilotos para amenizar as consequencias da verdadeira sauna que se transformou o interior dos carros. Palmilhas confeccionadas em manta de amianto forraram as sapatilhas de Duda Pamplona e Felipe Maluhy. Mesmo assim, de volta aos boxes após a prova Maluhy de imediato descalçou a sapatilha e as meias antichama para amenizar o calor:

“Poucas vezes no ano, talvez na carreira, enfrentamos um calor tão forte. Menos mal que conseguimos chegar ao final da prova, marcar pontos e comprovar que nosso equipamento está “animal”. Administrei o uso do push-to-pass e acabei me dando bem. Recuperei umas sete ou oito posições na pista e as outras fui aproveitando as batidas que marcaram esta corrida.”

Ao seu lado, Duda Pamplona conversava com os engenheiros da equipe para descobrir os motivos que acionaram o modo de segurança do sistema de gerenciamento eletrônico do motor do seu carro logo na primeira volta. O modo de segurança é projetado para reduzir a rotação do motor cada vez que as temperaturas de água e óleo e a pressão do lubrificante atingem um patamar crítico e, dessa forma, evitar quebras do equipamento. No caso de Duda, que largou em quarto, na segunda fila, ficou no ar o que poderia ter causado esse acionamento:

“O modo de segurança começou a funcionar logo após a largada, quando eu disputava a quarta posição com o Átila Abreu. Foi frustrante, pois meu carro ficou lento e perdi muitas posiçõe. EM seguida, voltou a funcionar normalmente e, mais uma vez, ficou claro que estava muito bem acertado para o circuito, tanto que fui um dos mais velozes na pista. O lado bom de tudo isso é que nossos dois carros chegaram ao final da prova e, novamente, mostramos que seguimos evoluindo.”

Efetivamente, o desempenho da equipe Officer ProGP foi consistente nos treinos e deixou claro que o time de Itaiva, distrito de Petrópolis, apresenta uma performance destacada. Traduzir a performance dos treinos em resultados na corridas é o objetivo para esta temporada, como explica o diretor esportivo Fábio Gaia:

“Temos que transformar os bons treinos que estamos realizando desde a primeira etapa em bons resultados nas corridas. Até o momento enfrentamos pequenos problemas, mas uma hora tudo se encaixa.”