Os pilotos Giuliano Losacco e Eduardo Leite e o chefe da equipe Hot Car, Amadeu Rodrigues, concordam que largar na frente é essencial para um bom resultado no circuito de rua. Outro ponto crítico serão os freios, muito exigidos no traçado

Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, receberá neste final de semana (dias 16 e 17) a 3ª etapa da Copa Caixa Stock Car. Após a primeira prova realizada no circuito de rua, em 2010, o traçado passou por algumas mudanças para melhorar a segurança e oferecer mais condições de ultrapassagens. A pista foi alargada em alguns pontos e também ficou mais extensa (2.395 metros e largura média de 10 metros).

Mesmo assim, largar na frente será essencial para buscar um bom resultado. Essa é a meta dos pilotos Giuliano Losacco e Eduardo Leite, da equipe Hot Car Competições (Bardahl / Agecom). Os treinos no traçado de Ribeirão só serão realizados no sábado, bem como a definição do grid. No domingo, a prova tem a sua largada prevista para as 11h38 (ao vivo na TV Globo).

Em Curitiba, tivemos problemas na classificação, mas nos recuperamos na corrida e terminei em 10º. Em São Paulo, também havia boas chances de pontuar, mas fui obrigado a abandonar com problemas nos freios. Espero que essa prova de Ribeirão apague as coisas ruins e já possamos começar bem logo nos treinos e largar mais à frente para ter uma boa corrida“, declarou Losacco, bicampeão da Stock Car. O piloto também comentou sobre as mudanças do traçado. “Fico feliz que a pista tenha sido alargada. Pelo que vi, acho que pode ter alguns pontos a mais de ultrapassagem“.

Piloto mais jovem da Stock Car, com 22 anos, o estreante Eduardo Leite já teve a oportunidade de andar em Ribeirão em 2010 pela Copa Montana, quando ficou em quinto lugar. “A pista mudou, mas pela experiência que tive lá é preciso largar o mais à frente possível. Temos sofrido um pouco nas classificações, mas nas corridas o carro tem se mostrado rápido. Então agora precisamos ter um carro rápido também na classificação“, afirmou Leite, que foi o 13º colocado em Curitiba e completou a etapa de São Paulo em 19º.

Além da preocupação de largar bem, o chefe da equipe, Amadeu Rodrigues, destaca outro item que deve ser bem exigido: os freios. O comandante do time também lembra o bom resultado conquistado pela equipe em Ribeirão no ano passado (o terceiro lugar com Antonio Pizzonia).

Estamos nos preparando e traçando um plano de trabalho, com uma boa sequência, já que só teremos treinos no sábado, um bem próximo do outro até a classificação. Acredito que os freios serão um ponto crítico nesta pista, então já modificamos algumas coisas no sistema de freios, para evitar problemas e melhorar a refrigeração. Estamos esperançosos. Andamos bem em 2010 no traçado, com os dois carros, e ainda conseguimos um pódio com o Pizzonia. Temos a ‘receita’ para o carro e esperamos conseguir bons resultados“, completou Rodrigues.