Em Imola, brasileiro e equipe transformam corrida em teste para temporada da divisão principal, e resultado foi satisfatório na obtenção de dados sobre carro e pneus

A temporada 2011 da GP2 asiática, encurtada em uma rodada por conta de problemas em uma das praças do calendário, terminou de maneira satisfatória para Luiz Razia. No circuito de Imola, o único brasileiro na categoria conseguiu completar a prova (após ser tirado da pista no dia anterior logo na largada e ser obrigado a partir em último) e evoluir nada menos que nove posições, recebendo a bandeirada em 14º.

Com o carro do Team AirAsia, o piloto baiano de 21 anos correu visando a divisão principal, que começa em maio e utiliza exatamente os mesmos equipamentos da categoria asiática. “Usamos a corrida como um teste e foi ótimo ver Luiz ter uma corrida consistente”, disse o chefe da equipe, Phil Spencer. “Conseguimos evitar incidentes e Luiz está muito feliz por ter completado uma corrida”, endossou o engenheiro de corridas, Humphrey Corbett.

Razia, por sua vez, deu sua versão da corrida: “Tomei bastante cuidado na largada. Me vi em uma situação difícil na primeira curva, mas administrei para passar por eles e evitar um grande acidente na curva dois. Durante a corrida, tentei imprimir meu ritmo para fazer algumas voltas rápidas, mas não funcionou como esperávamos. Por isso, tentamos um ‘approach’ mais agressivo para coletar algumas informações do carro e dos pneus.”

“No geral, foi bom terminar a corrida, hoje. Sabíamos que este torneio seria como um treino para a divisão principal e agora sabemos nossa posição como uma equipe. Somos fortes, precisamos apenas melhorar um pouco para brigar pela vitória sempre. No total, foi um dia positivo”, completa. O próximo compromisso de Razia será entre os dias 5 e 6 de abril, quando acontece a primeira bateria de testes da divisão principal da GP2 em Silverstone, na Inglaterra.