Brasileiro tem início de prova elogiado por chefe e engenheiro do Team AirAsia, mas é abalroado por rival na entrada da primeira perna da Tamburello

A primeira corrida da GP2 asiática em Imola, mítico circuito italiano que recebe a rodada dupla final da temporada 2011, durou poucos metros para Luiz Razia. O brasileiro do Team AirAsia partiu da sexta fila, mas foi jogado para fora da pista na primeira perna da hoje chicane Tamburello, após uma largada bastante elogiada pelos chefes da equipe malaia.

“Foi muito azar Luiz não ter terminado a corrida, pois ele fez uma largada maravilhosa. Estamos analisando o incidente, já que o outro piloto envolvido jogou o carro para cima de Luiz, não dando nenhum espaço a ele. Mas essas coisas acontecem na corrida”, afirma o chefe da equipe, Phill Spencer.

O engenheiro-chefe do Team AirAsia, Humphrey Corbett, concorda com o colega e destaca o início de prova do terceiro piloto do Team Lotus na F-1. “Luiz fez uma largada fantástica, passando Davide [Valsecchi, outro piloto da equipe], mas foi jogado para fora logo em seguida e teve de abandonar”.

O piloto baiano, por sua vez, faz seu relato do que aconteceu nos poucos segundos em que sua corrida, de forma involuntária, acabou se resumindo. “Fiz uma ótima largada, ultrapassando dois carros, mas alguém tocou em minha roda dianteira no fim da reta e quebrou a suspensão _estava do lado de fora e não vi eles chegando”, descreve.

“Infelizmente, não havia nada que eu podia fazer, então vamos partir deste ponto, fazer uma boa atuação amanhã e focar a divisão principal da GP2″, continua Razia, que terá de fazer uma corrida de recuperação neste domingo, a partir das 10h (de Brasília), uma vez que o grid da prova complementar é o resultado da primeira bateria, e Razia terá de largar do fundo do pelotão. “Vamos para cima”, completa. A vitória ficou nas mãos de Romain Grosjean, ex-piloto de F-1, da equipe Dams.