Piloto da Itaipava Racing Team alcançou sua primeira conquista no Desafio Internacional das Estrelas

Quando entrou nos boxes na quinta volta, com problemas no escapamento, Lucas Di Grassi estava certo de que havia deixado escapar a chance de vencer o Desafio Internacional das Estrelas. Mas nem ele, nem ninguém poderia prever o que aconteceu nos quase trinta minutos de corrida da prova decisiva do evento, disputada na manhã deste domingo (19). Bia Figueiredo deu um espetáculo para o público presente, saindo da 11ª posição para vencer na Arena Sapiens, em Florianópolis (SC).

O resultado deixou Lucas Di Grassi, Felipe Massa, Rubens Barrichello e a própria Bia Figueiredo, os quatro primeiros colocados, absolutamente empatados em pontos na tabela de classificação, com 25. Lucas Di Grassi foi declarado campeão no critério de desempate, que era o resultado da primeira corrida do fim de semana, vencida por ele na noite de sábado (18). “Eu não esperava ser campeão sem terminar a prova final”, confessa Lucas Di Grassi.

“Tudo começou bem triste com o meu abandono, mas aí as coisas começaram a se desenvolver de uma forma tão emocionante que a cada ultrapassagem da Bia (Figueiredo) eu vibrava”, conta o piloto da Itaipava Racing Team, que manteve uma escrita no Desafio Internacional das Estrelas. Só pilotos de Fórmula 1 conquistaram o título desde que passou a ser disputado em Florianópolis, em 2006. “Vencer um evento desses é um momento importante para qualquer piloto”.

“Aqui, é tudo decidido muito nos detalhes, todo mundo vira no mesmo décimo, cada atividade tem alguém diferente na frente. Então, é um resultado mesmo muito especial”, revela Lucas Di Grassi. A corrida dele terminou em um acidente envolvendo outro piloto da Itaipava Racing Team, Antonio Pizzonia. “Na quarta volta, meu pneu saiu da roda e não tive o que fazer. Foi uma pena, mas nesta prova minhas chances eram mesmo pequenas, porque eu estava ‘a pé’ de motor”, diz Antonio Pizzonia.

Tony Kanaan terminou a corrida decisiva em quarto lugar e ficou só um pontinho distante dos quatro pilotos que empataram na disputa pelo título do Desafio Internacional das Estrelas. “Eu não fiquei fazendo contas. Estava fazendo minha corrida e sabia que quanto mais à frente eu chegasse maiores seriam as minhas chances. Mas fiquei feliz demais com o resultado da Bia (Figueiredo). Ficou todo mundo impressionado, mas eu já estou bem acostumado com isso”, brinca Tony Kanaan.

O piloto divide com ela o grid de largada da Fórmula Indy. Luciano Burti também tinha boas chances na corrida, mas se enroscou com Felipe Massa na largada. “Nossos karts se engancharam, uma carenagem prendeu na outra. Aí precisei frear e perdi muitas posições. Pelo que vi do kart, hoje seria uma corrida melhor do que ontem, mas a batida atrapalhou. Mas de uma forma geral valeu muito, foi divertido e esta é a grande proposta do evento”, conclui Luciano Burti.