Mesmo com o ombro esquerdo contundido, ex-motociclista correu com garra e terminou a corrida em terceiro lugar

Um final de temporada de arrepiar. A prova 16 do Porsche GT3 Cup 997, realizada neste domingo em Interlagos, teve tudo o que os espectadores que compareceram às arquibancadas do autódromo paulistano esperavam: disputas acirradas, saídas de pista e acidentes. Depois de 16 voltas, a vitória ficou com Miguel Paludo, enquanto o ex-motociclista Alex Barros conquistou o vice-campeonato. Ricardo Baptista, que também poderia terminar o ano em segundo lugar, abandonou devido a avarias em seu carro, causadas por um acidente.

Largando na pole position, Constantino Júnior não teve dificuldades para manter a liderança após a largada. Marcel Visconde assumiu o segundo lugar e Paludo saiu de nono no grid para terceiro no fechamento da primeira volta. Paludo ultrapassou Marcel na terceira volta e na seguinte já aparecia na liderança, após ultrapassar Constantino. Este manteve o segundo lugar até abandonar com uma pane no câmbio.

O abandono de Constantino deixou Rosset e Barros disputando o segundo lugar. O duelo, empolgante, foi acompanhando de perto por Marcel, quarto colocado. Mesmo correndo com o ombro esquerdo contundido (consequência de uma queda em um evento de motociclismo ocorrido na semana anterior) e sentindo muitas dores, Barros atacou fortemente Rosset até a última volta. Na bandeirada, a diferença entre o campeão e o vice da temporada de 2010 foi de apenas 93 milésimos de segundo. O pódio teve uma festa da família Paludo, já que Daniel, irmão de Miguel, terminou a corrida em quinto lugar após uma boa disputa com Roberto Posses, sexto colocado. Foi a primeira vez que uma prova do Porsche GT3 Cup terminou com a presença de dois irmãos no pódio.

Resultado final da prova 16 do Porsche GT3 Cup 997:

1) 77-Miguel Paludo, 16 voltas em 27:26.002

2) 1-Ricardo Rosset, a 12.000

3) 4-Alex Barros, a 12.093

4) 55-Marcel Visconde, a 12.684

5) 89-Daniel Paludo, a 24.163

6) 52-Roberto Posses, a 26.027

7) 63-Sérgio Ribas, a 32.932

8) 13-Fábio Casagrande, a 37.881

9) 3-Eduardo de Souza Ramos, a 39.846

10) 10-Adalberto Baptista, a 40.153

11) 70-Marcelo Franco, a 1:01.448

12) 11-Omilton Visconde Júnior, a 1:1:02.899

13) 44-Santos Zanella, a 1:13.584

14) 99-Tom Valle, a 1 volta

15) 16-Esio Vichiese, a 2 voltas

16) 81-Bernardo Parnes, a 4 voltas

17) 92-Ricardo Vianna, a 6 voltas (câmbio)

18) 00-Constantino Júnior, a 7 voltas (câmbio)

19) 997-Marcos Barros, a 8 voltas (vazamento de água)

20) 27-Ricardo Baptista, a 13 voltas (acidente)

21) 46-Lucas Molo, a 15 voltas (acidente)

22) 7-Clemente Lunardi, a 15 voltas (abandono voluntário)

23) 26-André Lara, a 15 voltas (acidente)

24) 18-Danilo Fernandez, a 16 voltas (acidente)

25) 36-Charles Reed, a 10 voltas (acidente)

26) 34-Maurizio Billi, a 11 voltas (bomba de água)

Volta mais rápida: Miguel Paludo, 1:41.450, média de 152,907 km/h

Classificação final do campeonato após 16 provas:

1) Ricardo Rosset, 248 pontos (269); 2) Alex Barros, 201; 3) Ricardo Baptista, 175; 4) Marcel Visconde, 149; 5) Maurizio Billi, 136; 6) Clemente Lunardi, 129; 7) Tom Valle, 128; 8) Sérgio Ribas, 123; 9) Miguel Paludo, 102; 10) Guilherme Figueirôa, 82; 11) Daniel Paludo, 78,5; 12) Leo Burti, 76; 13) Roberto Posses, 76; 14) Constantino Júnior, 69,5; 15) Lucas Molo, 59; 16) Elias Azevedo, 50; 17) Otávio Mesquita, 46; 18) Charles Reed, 41; 19) Omilton Visconde Júnior, 40; 20) Adalberto Baptista, 33,5; 21) Christiano Piquet, 24; 22) Danilo Fernandez, 24; 23) Ésio Vichiese, 18; 24) Ricardo Vianna, 17,5; 25) Marcos Barros, 15; 26) Fábio Casagrande, 14; 27) Felipe Johannpeter, 13; 28) Antônio Hermann, 12; 29) Bernardo Parnes, 12; 30) Eduardo de Souza Ramos, 11; 31) Marcelo Franco, 10; 32) Marcelo Ometto, 9; 33) Santos Zanella (México), 3; 34) Henry Visconde, 2; 35) André Lara, 1; 36) Paco Salcedo (México), sem pontos.