Paulista andou próximo do melhor tempo no treino da amanhã. Já a tarde, ajustes no carro não responderam da maneira esperada

Depois de mais de um mês sem atividade oficial, a GP3 Series realizou nesta sexta-feira os treinos livres para a 3ª etapa da temporada, no circuito de rua de Valência, na Espanha. Um dos dois únicos brasileiros na competição, o paulista Pedro Nunes (OGX/Grupo CGE) teve um dia de sentimentos distintos sobre as duas sessões de treinos, além de atestar o grande equilíbrio do campeonato.

No treino livre realizado na parte da manhã, Nunes ficou há pouco mais de meio segundo do melhor tempo da sessão, estabelecido pelo britânico Alexander Sims. Em razão do equilíbrio da competição, essa diferença já foi suficiente para colocar Nunes na 15ª colocação. Já no treino da tarde, a equipe Lotus-ART optou por alguns ajustes no carro que não trouxeram o resultado esperado e o brasileiro ficou em 17º lugar no treino comandado pelo francês Tom Dillmann.

“O treino da manhã transcorreu de maneira normal e ficamos há pouco mais de meio segundo da melhor volta. Mas a categoria está muito competitiva e essa diferença me deixou em 15º. Vimos que tínhamos um bom potencial, mas no segundo treino acabamos indo para o lado errado no acerto do carro e ficamos um pouco mais atrás dos mais rápidos”, contou Pedro Nunes, que já sabe onde evoluir para o treino classificatório deste sábado. “Analisando os dados depois da sessão vimos onde podemos melhorar. Sou o mais rápido da equipe em curvas de média velocidade, mas perco nas de baixa, que são a maioria. E é isso que vamos precisar melhorar para a tomada de tempos e para a corrida. Mas o que continua chamando a atenção na GP3 é mesmo a competitividade, já que em uma pista de rua com mais de 5,5km como a de Valência, estamos todos muito próximos”, completou o brasileiro.