Sábado foi de decepções na Copa São Paulo

Competindo pela categoria Cadete e Super Cadete, o paulista Gregory Diegues (Banco Rendimento | V!be Energy Drink | Chilli Beans | Bad Boy | Ecko Unltd. | Hinkel) não teve um bom sábado (18) no Kartódromo Granja Viana, em Cotia (SP). O compromisso de Gregory era a 6ª etapa da Copa São Paulo e os motores sorteados, com muita diferença de potência entre si, deixaram a desejar novamente.

O dia começou difícil já na Super Cadete, quando o motor – este de propriedade do piloto – apresentou problemas em sua parte elétrica. Gregory não pôde fazer a tomada de tempos e largou da última posição. Com uma boa largada, em poucas voltas ele já ocupava a 6ª posição, que tentou defender ao máximo, já que seu motor começava a perder rendimento. Faltando poucas voltas para o final Gregory estava em 7º, quando, restando meia pista para o final, uma quebra o fez abandonar a prova.

“Foi duro ver o Gregory largar tão bem, fazer grande corrida com ultrapassagens e defesas de posição, e ao final não conseguir terminar a prova. Ele parou o kart atrás da torre da cronometragem e saiu muito frustrado, pois certamente vinha contente com sua atuação e, dentro das suas reais possibilidades, fez o máximo que pode”, lamenta Mauricio Diegues, pai do piloto.

A Cadete, esta com motores fornecidos pelos organizadores, reservou decepções ainda maiores para Gregory Diegues. Depois de enfrentar diversos problemas com o rendimento dos motores desde os treinos de sexta-feira, quando Gregory “virava” tempos 1,5 segundo piores que os ponteiros, a equipe Camargo Racing solicitou a troca aos organizadores por diversas vezes. Várias trocas de motor depois, e largando da 28ª posição na prova final, Gregory mostrou sua tradicional raça e agressividade e, com ultrapassagens limpas, aparecia em 15º, quando, em um toque com outro piloto, perdeu o bico de seu kart.

Gregory Diegues (Banco Rendimento | V!be Energy Drink | Chilli Beans | Bad Boy | Ecko Unltd. | Hinkel) foi obrigado a parar para manutenção e perdeu diversas posições, terminando entre os últimos colocados. “Não tive um sábado muito bom dentro da pista, reclamei com a organização sobre os motores que me foram entregues e espero que a Granja Viana volte a manter a qualidade de antes, pois o campeonato cresceu e a competitividade não acompanhou”, dizia o jovem piloto ao sair triste do Parque Fechado. “Confiamos muito na honestidade da organização da Granja Viana, eles são sempre muito atentos as nossas reclamações e reivindicações, mas desta vez ficamos muito chateados com a situação dos motores”, reclama Gregory.

Na etapa anterior, segundo Maurício Diegues, também foram necessárias algumas trocas de motor, que continuaram com muita diferença de rendimento entre si. “Percebemos que existem uns 10 ou 15 motores que são competitivos, mas o restante tem muita diferença de potência entre eles. A organização se comprometeu em buscar um acerto mais competitivo entre os motores e tirar a grande diferença entre eles. Não podemos ter motores com mais de 5 décimos de diferença e hoje todos os motores que pegamos tinham de 1,0 a 1,5 segundos de diferença para os ponteiros. O Gregory começou a Copa São Paulo em 3º lugar e, depois deste sábado, deve cair para 6º ou 7º, o que nos deixa muito chateados, pois há duas etapas atrás brigávamos pela liderança e agora vamos brigar para que ele se mantenha entre os 10 que vão para os play-offs. Será que o Gregory desaprendeu como pilotar um kart? Ele foi vice-campeão da Copa Codasur há 15 dias atrás e já foi líder da Copa São Paulo”, lembra e questiona Mauricio Diegues.

Passada a decepção com a etapa de sábado, Gregory Diegues deverá treinar com sua equipe, a Camargo Racing, para se preparar para a disputa do Campeonato Brasileiro, quando tentará repetir 2009, ano em que foi campeão da Mirim.

Ação do Banco Rendimento e Cartão Mundo Livre
A parte positiva do sábado (18) de Gregory Diegues foi sua participação na apresentação do Cartão Mundo Livre pelo Banco Rendimento, um de seus patrocinadores. A distribuição de “flyers” e a premiação aos três primeiros colocados da Super Cadete foi enorme sucesso.

“Esperamos que os pais possam aderir a esta nova maneira de fazer com que nossos filhos possam sair com crédito sem levar dinheiro, utilizando o Cartão Mundo Livre na escola, nos parques, cinema e até no kart”, indicam Mauricio e Gregory Diegues, que já tem o Cartão Mundo Livre. “O cartão Mundo Livre é melhor opção para vocês, pais, disponibilizarem a mesada aos seus filhos. É um cartão recarregável, não precisa ter conta corrente e é aceito em mais de 1 milhão de estabelecimentos credenciados à rede Visa. Seu filho poderá utilizar o cartão com total segurança. O cartão Mundo Livre é assim: carregou, usou. Banco Rendimento e Cartão Mundo Livre: liberdade é estar seguro e no controle”, finaliza Maurício Diegues.